sábado, março 06, 2010

Sou Mulher!




Sou Mulher! ( Sonhos Mais Íntimos )
Delasnieve Daspet


Não há um instante.
Não há um momento.
Nem o suave sussurro da brisa.
Nem as saudades que sobraram
De andanças antigas,
Me deixam esquecer
Que sou vento. Que sou terra.
Que sou canto.Que sou quimera!



Que tenho no corpo o cheiro da noite.
Nos lábios o gosto do mato.
Nas entranhas, o mel silvestre,
E no olhar orvalhado trago o
Doce e meigo luar do sertão!



Sou humilde flor pequenina
Que se abre pela manhã
À espera do sol
P'ra desabrochar seu amor!



Sou o sertão.
Sou o sabiá que canta
No galho da mangueira.
Sou a chuva que pinga e respinga
Molhando a terra seca
Que faz florescer a roseira!



Sou o cheiro da terra molhada,
Da fantasia alucinante,
Dos rios, cascatas, pântanos,
Sou o verso único e maior
do poeta sonhador!



Sou a mentira. O sonho. A ilusão.
Sou a verdade da lágrima
No bom dia que raia!



Sou a canção de ninar.
Sou a agulha do bordado.
Sou a broa quentinha,
Sou o fogo no chão,
Sou paixão.



Sou o teu lugar vazio.
Sou a melancolia.
Sou a ausência total
Dos movimentos e de vozes!




Sou companheira. Sou parceira.
Que mais queres de mim,
Se já sou tu e não eu?



E na saudade que nos afasta
Sou a lembrança
Dos sonhos mais íntimos!
DD_ 27 de agosto de 2001
Campo Grande MS



2 comentários:

  1. Querida amiga poetisa!!!!
    Muito lindo seu poema. Um belo texto poético. Adorei. Meus parabéns!
    Beijos de luz e poéticos em teu coração!
    POETA CIGANO - 09/03/2010

    carlosrimolo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Suave, melancólico e consciente, poema lúcido
    transbordado de ternura,
    Doçura de poeta.

    Deixo abraço de luna nova pisciana à amiga.

    ResponderExcluir

Obrigada por nos visitar, por nos ler e por deixar um comentario.
Volte sempre!

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget