domingo, agosto 28, 2011

CONVITE PARA LANÇAMENTO DO LIVRO "CANTARES" DE DELASNIEVE DASPET

ESPECIAL ANIVERSÁRIO DE CAMPO GRANDE
PROJETO ARTE CULTURA  DA UNIVERSIDADE ANHANGUERA - UNIDERP CONVIDA
PARA O LANÇAMENTO DO LIVRO " CANTARES" DE DELASNIEVE DASPET


Delasnieve Daspet em prosa e verso - Revista AGENTE

A poetisa que planta poemas - por Aida Domingos

Aida Domingos


A poetisa que planta poemas
     por Aida Domingos
Ela gostava de plantar poesias, depois de muitos livros, uma infinidade de poemas publicados em livros individua, em coletâneas em textos abandonados ao léu, centenas de paginas na internet, publicações internacionais.
Surgiu uma ideia posta em pratica na bela cidade de Bonito, onde acontecia o Décimos Segundo Festival de Inverno, acontecimento importante naquela cidade extremamente ecológica rodeada de grutas e braços de rios de agua cristalina onde reinam aquários naturais de peixes multicoloridos a bailar sob a luz inconfundível daquele céu de Mato Grosso do Sul.
Foi nesse evento que a escritora, Embaixadora da paz nomeada pela ONU, Dra. Delasnieve Daspet, acima de tudo grande poetiza com uma veia impressionante de muitos temas.
Nessa cidade ela resolveu que poesia se colhe em arvores, e assim preparou, mas de cem garrafinhas pets enfeitadas com fitas homenageando a cor da bandeira estadual, fez um orifício lateral em cada garrafinha e plantou seus poemas convidando a todos os poetas que desejassem fazer parte desse feito, perto de mil poemas foram distribuídos, numa elegância e organização de fazer inveja, a qualquer organizador de eventos. O leitor podia tirar quantas poesias desejasse ler e levar para casa que as mesmas eram prontamente substituídas por outras.
Tamanho foi o sucesso, que o fato se repete em outras cidades a exemplo de campo Grande que emprestou seu pé de Ingá no cruzamento mais movimentado da cidade, Rua Quatorze de julho com Afonso Pena.
Com certeza suas arvores de poesias farão parte da história de MS e doravante de nosso imenso Brasil.
Parabéns poeta plantadora de poesias.
Ainda M. Domingos
CG 28 /08//2011


 Aida  M. Domingos

Ser e ser - por Nena Sarti

Nena Sarti - de chapéu com leitores e Robson Simões na Árvore dos Poemas


Ser e ser
                            por Nena Sarti

A convivência com o elemento humano, em nosso século, está a cada dia mais complicado. Muita informação aumenta a potencialidade do não entender as coisas.
No nosso caso, o das letras e das artes em certos momentos não acreditamos no que vemos e ouvimos.
O “dom” do dizer recebemos de Deus. Pelo menos eu acredito em meu Deus, Aquele que pelo verbo construiu o universo. E, continuou sua jornada mandando seres para essa Terra com alguns dons autorizados. Uns deles o de enxergar, pensar, entender, escrever e falar daquilo que observam a mais do que os cidadãos e cidadãs comuns.
Claro que sabemos também, o caminhar constante em busca da perfeição através de estudos e como estudamos, só nós mesmos o sabemos.
Ah, sim! Por que estou me colocando entre esses seres especiais? Porque sou um deles. Entendi que era dotada desses dons quando aprendi com Deus a humildade, a honestidade, o caráter, o conviver com o outro.
Mas tudo isso que comentei é para falar sobre uma pessoa coroada de dons:
Delasnieve Daspet é um desses seres celestiais que Deus mandou para Terra para servir à humanidade.
Não, não estou “jogando confete” ou “puxando o saco” como dizem no populacho, estou comentando sobre uma mulher guerreira que possui garra, sonhos, caráter, honestidade e humildade. No item humildade pretendo provar aos que duvidem.
Delasnieve nasceu iluminada e fico a observar que ali não há soberba, pois quanto mais ela sobeja mais ela abraça seus amigos, amigas, colegas de literatura e artes. E são nesses abraços senhores, que a luz dela aumenta, uma vez que também os que ela abraça recebem uma centelha de luz propagando-se ao universo as cores da sabedoria, do bem, do social e da PAZ.
Delasnieve quanto mais cresce, menos olha seu umbigo, posto que no seu crescer não há tempo para olhar a si mesma. Tudo o que o Nosso Senhor, o verdadeiro dono das coisas quer, devolvendo aos que a seguem oportunidades de eterna luz.
Digo a ela quando estamos juntas: Eu estou de parabéns por você permitir aquecer-me em seus raios de sol, ao qual ela retribui com aquele sorriso maroto de menina sapeca. É gratificante conviver com esse Ser que sabe ser.

Campo Grande, 25 de agosto de 2011.

Nena Sarti – Diretora de Poesia Infanto-Juvenil do Mato Grosso do Sul pela Associação Internacional dos Poetas Del Mundo.

ÁRVORE DOS POEMAS EM CAMPO GRANDE - DIAS 25 E 27 DE AGOSTO

Árvore dos Poemas
     por  Delasnieve Daspet

Interagir  com o público - com o leitor - esta é a minha ótica.
Fui para as ruas abraçada aos meus poemas.
Não tenho vergonha de ser feliz e de ajudar os outros a, também,  serem felizes e trabalharem  suas neuras.
Claro que todos as temos ( as neuras ) e quanto maiores, melhores os poemas.
Agradeço a FUNDAC - Fundação de Cultura de Campo Grande, na pessoa de seu presidente o Mestre Roberto Figueiredo - que tem me apoiado em todos os meus loucos sonhos - o artista tem que ser assim - sonhador e quanto mais maluco, melhor - e, o dirigente de entidade da Cultura - também tem de ser  sonhador e abraçar os loucos que lhe batem a porta.
Obrigada, Roberto  Figueiredo - estás presente, o que em nosso estado e cidade - já tem um significado enorme - já que a cultura nem sempre encontra guarida - quando lhe batem a porta.
O Velho Ingazeiro da Avenida Afonso Pena - palco de tantas e tantas falas, discursos, promessas vãs de falastrões etc... por dois dias - o Ingazeiro  foi o espaço onde o poeta e a população  falaram a mesma lingua!
Estiveram por lá, além de mim, evidentemente, os poetas Ahayde Nery de Freitas, Nena Sarti,  Venâncio Josiel, Robson Simões, Augusto Proença, Elias Borges, Nelson Vieira, Sylvia Cesco, Sandra Freitas, a Cigana Luna ( que não é poeta - mas que representa todo um povo! ) e a Zeni que noslevou coxinhas e sucos.
Eu sou abusada - levei logo 600 ( seiscentas ) copias de poemas. Trouxe de volta uns  duzentos. Os outros levaram os numeros que quiseram  de 5 a duzentas poesias.
Distribuimos quase tudo - o que bem demonstra a vontade e a sede da população quanto a leitura e a conhecer os seus poetas.
E no mundo agitado que nos abraça - achamos um momento, um oásis, para contemplarmos juntos as coisas simples da vida - como o de ler uma poesia.
Tinha gente que levava poema para a mãe, a sogra doente, irmãos, filhos, marido, etc... Tinha meninos que levavam para fazer trabalho de escola... Outros levavam para a namorada...
Pois é - os frutos-poemas do Ingazeiro - deram o que falar, até o Governador André Puccinelli - gritou no dia do desfile - lá do palanque oficial:
"Delasnieve, adorei a sua idéia da Árvore dos Poemas".
E, todos sabemos que o nosso governador está sempre ligado nas coisas boas e belas de nosso estado e da nossa cidade, por isso já foi duas vezes prefeito de Campo Grande, e, é nosso governador pela segunda vez.
O Ingazeiro que nos dá o seu frescor, a sua sombra, que embeleza nossa cidade, que ajuda a despoluir o ar, que nos abraça todos os dias e horas guardou em seus braços-galhos  os poemas que foram engarrafados, em garrafas pet, e,  os frutos-poemas foram colhidos por todos os passantes,  ávidos pelo paladar de uma fruta perene, que refresca não somente a alma e o coração, mas faz viscejar o corpo e o espirito já que não tem contra-indicação.
Agradecemos, também, aos valorosos Sargentos  Magno e Greff, Cb Milton e Sd Dimas - do Corpo de Bombeiros que nos ajudaram a instalar os poemas na Árvore.
Acima de tudo - agradecemos ao GADU - sem ele, certamente não teriamos a chance de levar a todos o meu trabalho e o trabalho dos amigos que nos acompanharam no evento.
E ficou comprovado que TODOS GOSTAM DE POESIA. TODOS!
Deixo a todos o meu e-mail e espero retorno para discutirmos POESIAS.
Escreva  para a Poeta da ÁRVORE DOS POEMAS:


Delasnieve Daspet
arvoredopoema.delasnievedaspet @gmail.com

sábado, agosto 13, 2011

DELASNIEVE DASPET RECEBERÁ O TROFÉU CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE EM ITABIRA-MG









DELASNIEVE DASPET RECEBERÁ O TROFÉU

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE EM ITABIRA-MG

Itabira é a cidade natal do poeta CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE.

Delasnieve Daspet foi indicada e teve seu nome aprovado pela Comissão Organizadora.

A honraria é concedida àqueles que se destacaram em diversos setores profissionais e sociais do País,

nas Minas Gerais e em Itabira, e, está na sua 46ª edição.

.

Ao receber a carta com a indicação e a aprovação do seu nome - Delasnieve Daspet lembrou dos versos de seu poeta maior:



"No meio do caminho tinha uma pedra

Tinha uma pedra no meio do caminho.

E eu nunca me esquecerei /

Que no meio do caminho tinha uma pedra

Tinha uma pedra no meio do caminho".

....

E, como tem pedras, Drummond!

Pedras que nem imaginamos e que nos são lançadas...

Com elas temos nos construído. Elas funcionam como incentivo e servem para alavancar nosso caminhar.

Obrigada, Lea Luh pela indicação.

Obrigada, a comissão que aprovou o nosso nome.

OBRIGADA, MINAS GERAIS!

OBRIGADA, BRASIL!



Delasnieve Daspet

Poeta, essencialmente!


quarta-feira, agosto 10, 2011

CONVITE

domingo, agosto 07, 2011

Dividindo - Delasnieve Daspet

Dividindo
        Delasnieve Daspet
.
É chegado o momento
De dividir o meu tormento
Partir ao meio o silêncio,
Revelar as palavras
Que me engasgam.
.
Por exemplo, nunca disse
Que esperei por anos,
Que abrisse a porta.
E de braços abertos,
Me dissesse: eu te amo!
DD_Campo Grande-MS, 21.07.11
.
.

Insensatez - Delasnieve Daspet

Insensatez
 Delasnieve Daspet
.
Rojões pipocaram no  calmo
Céu estrelado e cálida aragem ...
O espaço se tornou furta-cores,
Estilhaços de fogos clarearam a noite.
.
Nas árvores o medo dos pássaros,
Que em desespero abandonaram
Seus filhotes e ninhos...
Trabalho do homem!
.
Gritos estridentes cortaram os céus,
Foi – em meu coração – um barulho maior
Que os fogos brilhantes...
.
Chorei de tristeza e pena!
Falamos em ecologia,
Falamos em sustentabilidade,
Em educação ambiental,
E agimos em proporção oposta!
.
Espantamos os pássaros
Numa insanidade que não se entende!
Maritacas, papagaios, ararinhas, bem-ti-vis,
Sabiás, pardais, e outros tantos,
De lindos cantos e coloridas plumagens
Que nos alegraram o dia,
Em desespero fugiram!
.
Quantos pássaros morreram,
Quantos se  perderam na escura noite?
Quantos não se estressaram?
Quantos filhotes não foram abandonados
E morrerão inanimados?
Quantas cores e cantos deixaremos de ver e ouvir?
.
Por que os foguetes?
O foguetório – para quê?
Bonito é a capital mundial da ecologia, dizem,
Precisamos adequar os festivais ao espaço proposto.
.
Na praça da Liberdade,
Liberdade aos homens e aos animais!
DD _ Bonito - MS, 29.07.11 – 0,35 hs
.

sexta-feira, agosto 05, 2011

Sofrer - Delasnieve Daspet


Sofrer.
   Delasnieve DAspet
.
O humano é a soma de suas contradições.
Cultivamos o sofrimento
Desde a Grécia antiga.
É uma síndrome.
.
Porque ter de penar para ser feliz?
Quem nos confirma que o premio para tanto sofrer
É de fato a eternidade?!
Esta máxima não deve ser incorporada.
Não devemos ter medo da felicidade.
.
Não tenho medo de ser feliz.
Gosto de pensar que minha luta tem sentido.
Que me harmonizo comigo.
Que tenho equilíbrio e paz!
.
A felicidade não se encontra em supermercado.
Não se vende por metro.
Mas é um bem atingível e ponderável!
.
Melhor perder pelo dito
Do que pelo não dito.
Viver com brilho intenso,
Mesmo que pouco!
.
Pensando nisso, resolvo - pois,
Abandonar o vazio que me cobre a alma,
Já que sou eu em duas
Ou duas em mim!
.
Uma face oculta que me subverte!
Outra que me entrega.
Uma que sofre, outra que ri!
Uma que dá, outra que toma!
Uma que sopra, outra que apaga!
.
Vou já verificar-me
Na dualidade que me domina,
Não vou durar uma eternidade buscando-me!
DD_Delasnieve Daspet - Campo Grande - 25-12-2001

Quando os olhos scam... Delasnieve Daspet

Quando os olhos secam...
       Delasnieve Daspet
.
Quando os olhos secam
É porque já chegamos a um lugar
além das lágrimas.
.
Um espaço desolado e silencioso
Onde nada cresce
E os sonhos são abatidos
Por falta de sustento.
.
Sem perceber, alheia ao que me cerca,
cruzei o rio invisível...
E meus olhos e  minha boca
Jazem, cheios de pó,  no incomensurável.
.
Perdi as lágrimas, perdi o conforto.
Apenas o vazio
Há séculos recordo e ouço.
DD_Delasnieve Daspet - Campo Grande - 02.09.03

Xaraés - Delasnieve Daspet

Xaraés
Delasnieve Daspet
.
Perfeição!
Tudo milimetricamente calculado
Sem divisas ou divisores,
Tudo é terra ou tudo é água.
.
O cheiro do cerrado, o capim seco e queimado,
Araticum, guavira, tarumã, jenipapo,
Matam a fome e perfumam a terra.
.
Aguapé lilás,
A exuberância das flores...
Na brisa matutina que ameniza o sol.
.
A balbúrdia das aves, o miado ao longe do maracajá,
O vai e vem das ondas mansas,
Nos cabelos de Iara a flor do camalote
Do Mar de Xaraes.
Delasnieve Daspet - 25.12.09
.


Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget