quinta-feira, setembro 30, 2010

obrigada, Ana Merij!


Amigos - entrem no meu blog e vejam como a Ana Merij - o deixou...
Esta leve, lindo, solto.
Um encanto.
Muito obrigada pela sua gentileza e bondade!
Um carinho,
Delasnieve

quarta-feira, setembro 29, 2010


Lembrarás, Um Dia!

Delasnieve Daspet


De braços abertos
ofereci meu amor.
Minha palavra não é lixo
e será lembrada.
Lembrarás, um dia, quando tudo já for em vão.
.
Por isso as escrevo...
Se as deixar soltas, espalhadas,
como páginas de um livro rasgado,
estarão perdidas.
.
Por isso eu afirmo:
Não vou amar de novo!...
Construi um muro, fechei os quatro cantos,
já não quero olhar a estrela que
brilha ao meu lado...
.
Já não quero lembranças saídas do passado.
Dores marcadas a ferro, tatuadas n´alma,
na pele, com aço.
Não vou lembrar imagens que
sugiram saudades, não vou!
.
A amargura é colossal,
alta, profunda, larga, dolorida.
Não se pode ignorar, galgar,
transportar, arrancar.
É imensa, como uma nuvem, que tudo tolda.
.
Já não quero nada que me lembre o amor,
já não quero me lembrar do nascer do sol,
da lua pequenina na colina,
da viola de cordas mortas,
e da voz do poeta canta-dor ...
Mas tu... lembrarás, um dia!
DD_13.03.00 -Campo Grande-MS

terça-feira, setembro 28, 2010

Germinando

Germinando

Delasnieve Daspet

.

Busco na poesia a vida.

Se canto a pobreza ou a riqueza,

Para mim a melodia é igual.

.

Não vou renunciar ao belo,

Ao sentido da vida,

Numa escravidão consentida.

.

Não serei um mero número,

Um espaço na estatística,

Uma peça na linha de montagem

Consumida e descartada.

.

Não vou perder a capacidade de sonhar,

A possibilidade de escolher,

De ser diferente e igual.

.

Não deixarei que me embalem,

Que me encerrem,

Que me adestrem,

Sublimando a vida, vou germinar.

.

E no fundo de minh´alma,

No decorrer de minha existência,

No milagre supremo,

Buscarei a flor dos meus desejos.

.

Sonho todos os sonhos livres,

Caminho todos os caminhos possíveis,

Indispensáveis, germinando minha construção.

DD_Campo Grande-MS – 01-05.10

segunda-feira, setembro 27, 2010

Tempo

domingo, setembro 26, 2010

Tempo

Delasnieve Daspet


Sou um minuto do teu tempo,

Um anelo do teu sonho;

Empalideço por não saber esperar...

E na fantasia de meus desejos

Perco-te por não haver te conquistado

Jamais...

.

O silêncio da natureza calou-se...

Perdura em mim o prazer

Que não extingue o desejo.

.

Tanto tempo...

E a água não sacia a sede...

Na multidão de minha saudade,

Caminho...

Até que não haja mais fim.

DD_Campo Grande-MS, 10 agosto de 2010

sábado, setembro 25, 2010

Canto de espera

Canto de Espera

Delasnieve Daspet

.

Por que não vens ?

Parei no tempo

Sem ver o céu de alegria

Em cada alvorecer.

.

O sol – todos os dias ressurge,

O dia segue a noite,

E não vens...

.

A tua espera toda a ternura

Condensados em suaves trinados

De solidão.

- Série: Cantares da DD “

DD_Campo Grande-MS – 20-07.10

sexta-feira, setembro 24, 2010


Canto de espera

Delasnieve Daspet

.

Por que não vens ?

Parei no tempo

Sem ver o céu de alegria

Em cada alvorecer.

.

O sol – todos os dias ressurge,

O dia segue a noite,

E não vens...

.

A tua espera toda a ternura

Condensados em suaves trinados

De solidão.

- Série: Cantares da DD “

DD_Campo Grande-MS – 20-07.10

quarta-feira, setembro 22, 2010

terça-feira, setembro 21, 2010

segunda-feira, setembro 20, 2010

quinta-feira, setembro 16, 2010

Convite

5ª Journée Mondiale de la Paix BRESIL
Dia 18 e 19 de setembro 2010
Campo Grande _MS_Brasil

domingo, setembro 12, 2010

Meu aniversário

( Pintura de Celito Medeiros )
.

OBRIGADA A TODOS OS AMIGOS QUE COMEMORAM COMIGO O MEU HOJE E O NOSSO AMANHA!!!

Hoje faço 60 anos - não se passa impune nesta caminhada.
Sou um ser humano muito rico - não de bens materiais - porque isso não é riqueza que se leve.
Mas tenho comigo a paz interior que me ajuda no seguir.
Tenho minha fé inabalável em Deus e no Homem.
Tenho ao meu lado parceiros - aos quais sou muito grata.
Tenho minha familia - aos quais - dedico o meu amor - para recompesar minhas ausências.
E tenho amigos - tantos - espalhados pelo mundo todo - e, principalmente, por este imenso Brasil - que me orgulho de sabe-los ainda que, a maioria,
ainda comunguem comigo apenas o sabr espiritual.
Mas sei que estão ai - atrás de um e-mail - sentados - pessoas que amo e que respeito.
Pessoas - que onde chego me inundam as mãos e o coração com o perfume singelo do carinho, do respeito, da caridade, do amor fraterno.
Alguns frequentam minha casa, minha familia.
Eu, dificilmente vou à casa de algum - porque acaba que tornei uma andarilha...
Precisamos levar em todos os lugares, em todos os lares, em todas as mesas, em todos os corações a palavra da PAZ - da CONCILIAÇÃO - a EQUIDADE - pelos DIREITOS HUMANOS - pela AMIZADE ENTRE OS POVOS - pelo fim da FOME e da MISÉRIA - pela DISTRIBUIÇÃO MAIS JUSTA DA RENDA - pela LIBERDADE DE ESCOLHAS - pela CARIDADE de BOAS AÇÕES.
Com muita POESIA.
Infelizmente - em alguns casos ficamos pelo caminho - com a sensação de perda latente - mas sabemos que, isso também, é parte do crescimento.
A pedra para virar arte tem de passar pelas lapidações necessárias - assim é com o Ser Humano.
A todos - ROSAS DA MINHA EXISTÊNCIA - que vou plantando no meu dia a dia - OBRIGADA!
Não nominarei ninguém - sintam-se todos - muito amados!
Obrigada por amenizarem meus momentos, minha saga, sim, saga! - pois nunca desisto de meus objetivos!
Neste viagem vou plantando rosas para colhê-las e aspirar o seu perfume em todas as nuances da vida.
Delasnieve Miranda Daspet de Souza
Embaixadora Universal da Paz





Plantei Rosas. Colho Rosas.

Delasnieve Daspet



Tijolo a tijolo podemos construir
A morada ou a prisão,
Dependendo de nossas escolhas.

Para viver o amor
Precisamos observar como atuar,
Pois os caminhos não são fáceis.

Embora guarde no olhar os sonhos
E desejos ainda nascituros,
Sempre soube que minha primavera
Não seria eterna,
E que um dia seguiria o inverno.

E meu inverno se aproxima.
Trouxe de minhas andanças
Longas noites de espera,
Penas de todas as eras!

Não que quisesse facilidades.
Uma vida pela metade,
Já que se morre pelo menos uma vez
Todos os dias.

Deixo o que não sou.
As idéias que não são minhas.
Meus medos. Minhas dores.
Minha solidão.
Deixo a palavra não dita
No silêncio que açoita.

Grito minhas verdades.
Escrevo meus sentimentos.
Já não me oculto.
Plantei rosas. Colho rosas.

Mas já plantei amarguras e colhi saudades.
E doce a boca que beija
No final da primavera!

Aprendi que na caminhada
Não estamos sozinhos.
Há uma ordem celestial
Guiando nossos passos.
Olhando-os, meus amigos, enxergo estrelas,
Nas orvalhadas madrugadas de
Nossos corações.

DD_12.09.02 - 13,00
Campo Grande MS

Obrigada meu querido amigo Celito Medeiros - você me deixou linda - nesta pintura!
http://www.delasnievedaspet.com.br/embaixadora_universal_da_paz.htm





terça-feira, setembro 07, 2010

Gratuidade - Delasnieve Daspet

Gratuidade

Delasnieve Daspet

02.07.08-C.Grande-MS

.

Olhos nos olhos da imensidão

Percebo a grandiosidade das coisas,

Tudo que é belo é gratuito.

.

Pela vida nada se paga,

Concebidos e gerados

Somos no amor.

.

O nome que se carrega,

Nos é dado, assim como,

A raça, a cultura, a cor...

.

Gracioso, também, é o ar que se respira,

O sol que nos aquece e ilumina,

O oxigênio que nos chega das matas,

As flores que nos enfeitam,

O fruto que nos alimenta.

.

De graça, também, é a inteligência

Que elabora o pensamento,

A decisão da escolha,

E o amor que trocamos...

.

E a memória que armazena

As lembranças, as metas traçadas

Do ideal que se assume...

.

A vida – bem, sem preço dos seres vivos,

Riqueza maior do homem,

É transmitida e garantida, e, deve ser

Partilhada e vivida em harmonia.

.

Tudo que é perfeito,

Recebemos de graça,

Por quê, então, a cobrança?

.

Por quê tanta gente com fome.

Com sede e com frio,

Tanta gente sem lar,

Sem aconchego ao léu?

.

Por quê tantos abandonados à sorte,

Infeliz sorte,

Num infeliz caminhar ?

segunda-feira, setembro 06, 2010

Eis-me - Delasnieve Daspet


Eis-me...
Delasnieve Daspet
.
Eis-me a teus pés,
Numa aceitação muda de mim,
Corpo e alma, defeitos,
Inteira no tempo e no espaço,
Resistindo e caindo, levantando trôpega,
As mãos estendendo no apoio que me dás..
.
Eis-me aqui, uma vez mais,
Plena e vazia
Nua, sem as maldades humanas,
Companheira da mesma estrada.
.
Calo-me, em meu olhar o nada,
A verdade crua do vazio
Dos gestos que se calam
Na entrega que te faço do meu eu
.
Eis-me....
Me multiplico, somo, diminuo,
Confusa regra de três
Neste imperfeito mundo
Onde o normal é a loucura,
E anormal é a ternura!
.
Eis-me, ôca nesta oca,
Em busca de melhora,
Amar deve ser a regra e
Não exceção!
21.03.08 Campo Grande-MS - 15,55hs

domingo, setembro 05, 2010

Egoísta - Delasnieve Daspet



Egoísta
Delasnieve Daspet
.
Deixo-te livre...
Vá...voe andorinha sem ninho,
Siga onde te levar tua sanha,
Pois, passarinho sem alma,
Não sabes amar...
.
Não sei viver teu amor,
Para mim amor é de dois,
Teu corpo traiu meu corpo
Tu - tu traíste minh´alma..
.
Imaginei-me mais livre do que sou
Pensei que poderia suportar teus escapes
Mas quem ama de verdade
Não divide, soma e acrescenta,
E, isso tu, egoísta, não sabes...

1º.06.08 – CGrande-MS


Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget