quinta-feira, março 28, 2013

Paixão e Será possivel amar assim ? autoria de Delasnieve Daspet

.

PAIXÃO
Delasnieve Daspet
.
Nunca consegui dimensionar o sofrimento do homem Jesus Cristo. Pessoas de minha geração leram e leem a bíblia. Muitos praticam os ensinamentos. Acho que me faltava a fé. A fé no imponderável. A fé no Onisciente. A fé que do amor faz bastar as dúvidas e tornar a paixão incomensurável. Como é que eu, pés de barro, poderia entender esse amor, essa entrega, esse sacrifício, essa doação...?
Num louco momento, ouso (todo poeta ousa sonhar e imaginar coisas impossíveis e vãs) comparar nossas vidas com a vida de Jesus. Ouso confrontar nossos sofrimentos com os Seus. A nossa morte diária com a Sua. Coloco-me frente a vida, olho-me no espelho de minha consciência, avalio minhas cicatrizes, as cicatrizes que a vida nos deixa...
Por que Ele morreu por mim? Eu seria capaz de morrer por alguém? Como entender esse amor? Como aceitar essa doação? Tantas coisas questionamos nas coisas que vemos no dia a dia...
Lá na rua jaz, em poças de sangue, uma criança de seus quinze anos... Seu corpo franzino, humilde, tatuado, encontra-se abandonado ao léu, carente de uma atenção que não lhe foi dada!
A violência está em todos os nossos momentos e atos, sintomático resultado da desagregação social, do desajuste familiar, da exclusão, pela falta de ocupação...
É Jesus que tem sua paixão diária em todos os lugares do mundo? É Jesus quem morre todo momento na situação endêmica em que vivemos? É Jesus quem morre com o fracasso do ser humano... Com o fracasso do amor?! Ou somos nós a morrermos na solidão do dia a dia e na falta da compaixão por nós? Ou nem sabemos amar?
Só pode entender o amor da Paixão quem saiba amar, quem olhar o semelhante como a si mesmo. Há tanto a aprender! Há tanto a perdoar! Há tanto a amar e a viver o sonho da vida!... -Em Campo Grande-MS, 06/04/2004
.
 Será  possível amar assim ?
 .
Tu que abres mentes e corações
Que mostra os caminhos mais nobres
Nos anseios do amor, dissestes:
“Amem-se uns aos outros...”
 .
Tão difícil, Senhor,  este mandamento!
A questão é amar  os outros como nos  amastes...
Nosso amor é  calculista, a espera de loas,
Retribuições... um amor tão pequeno!
 .
Não é fácil a proposta...
Vivemos numa sociedade de bajuladores,
E a mão que afaga hoje
É a que faz escárnio – amanha!
 .
Amem-se...
Como poderemos amar assim ?
Só  é possível o amarem-se
Pautando nosso viver na paz e na liberdade.
 .
Somente despojados do preconceito profundo
Livres da fantasia do real e do imaginário,
Conhecendo crenças e idéias diferentes...
 .
Então, Mestre, o amor não será
Um  mero sentimento
Mas uma ação concreta.
 .
E o mundo calculista e invejoso
Será de paz e de serenidade.
 .
E no coração de todos reinará o amor aos outros,
Aos que  me amam e aos que não me   amam,
Aos que eu gosto e aos que não suporto,
Amigos e inimigos, ao bem e ao mal...
 .
Um amor que tudo renova...
Será  possível amar assim ?
- Amem-se uns aos outros... como eu vos amei...
 ( João, 13, 14 ) - Delasnieve Daspet – 29.11.09 .
Delasnieve Daspet - é Poeta, Advogada e Ativista das Causas quase Perdidas ( Paz, Meio Ambiente, Social, Dirietos Humanos ) , é  Presidente da Associação Internacional Poetas del Mundo; Universal Peace Ambassador - Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix - Suécia/França ; Presidente para o Brasil da Indian Intellectual Peace Academy; Membro da Executiva do FESC/MS; Conselheira Estadual de Cultura/MS; .Membro da Comissão Regional da CNBB de Justiça e Paz/MS.
midi:adagio_albinoni-triste
Publicado - JORNAL O ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL - http://www.oestadoms.com.br/flip/29-03-2013/p02b.pdf
FLS. A2 - O ESTADO - 29.03.13 - OPINIÃO 

sexta-feira, março 15, 2013

DIA NACIONAL DA POESIA E 10º ANIVERSÁRIO DO LICEO POÉTICO DE BENIDORM, ALICANTE, ESPANHA

 DIA NACIONAL DA POESIA E
 10º  ANIVERSÁRIO DO LICEO POÉTICO DE BENIDORM, ALICANTE, ESPANHA




.
.

A poeta e advogada Delasnieve Daspet sempre comemora e promove a poesia e as causas sociais.Ela acredita que a poesia esta diretamente ligada a essência humana como fator de aproximação dos povos, como polo de discussão dos problemas socias.
No último dia 14 comemorou-se, no Brasil, o Dia Nacional da Poesia e em Alicante, na Espanha, o 10º aniversário do Liceo Poético de Benidorm, entidade que Delansieve Daspet atua. no Brasil,  como Delegada Cultural.
O evento aconteceu no salão de festas da Loja Maçônica Farol do Sul, em  parceria com o Grupo Escoteiro Mário Dilson, 35º MS da União de Escoteiros do Brasil, entidade dirigida pelos, também poetas, DI FREITAS e sua esposa  LEIZE DEMETRIO ( Faceira ) e toda a direção da Loja Maçônica Farol do Sul ( que nos brindou com delioso lanche, no final).
                                                                            .

                                                                              .
                                                                             .
.
Iniciamos o evento com a Dança Circular de Israel ALLELUYA
                                                                      .
                                                                                          .
                                                                                     .
                                                                              .

                     .
Leitura de poesias por Di Freitas, Leize, escritor Nelson Vieira, Dança  Hiphop pelos escoteiros Thalia e Igor, dança pop com escoteiras Leticia, Gabrielle, Sandy e Hany, violão e canto com o Sr. Romualdo:
                                                                    .
                                                                                 .
                                                                                  .
                                                                           .
                                                                 .
                                                                        .
                                                           .
                                                                      .
.
e a poeta e Embaixadora da Paz Delasnieve Daspet
ensinou os escoteiros e a comunidade a conjugar o verbo PAZEAR.
.
                                                                                 .
É necessário que estejamos "SEMPRE ALERTAS" na promoção da PAZ E DA CULTURA DA PAZ.
Ao distribuir a cultura, a solidariedade, e o respeito  estaremos promovendo a tão sonhada INCLUSÃO SOCIAL E A DIGNIDADE DO SER HUMANO.
                                                                              Delasnieve Daspet


quarta-feira, março 06, 2013

Homenagem ao Feminino - autoria de Delasnieve Daspet

.
Homenagem ao Feminino
 Delasnieve Daspet
.
Todo dia 8 de março - um conjunto de organizações  juntam esforços para comemorar o dia internacional da mulher através de um grito, de um canto de vida. É um momento para reafirmarmos nossa fé no nosso País, na nossa democracia, e, também levantar as nossas vozes pelas - ainda - violações aos nossos direitos.

No atual momento que o Pais atravessa temos de  prestar contas a nós, aos nossos filhos, amigos, a nossa nação do que estamos fazendo em prol de nos mesmo, de nossos movimentos contra os fatos que nos dilaceram, tanto no campo politico, ético e moral. Temos de dar contas das nossas escolhas politicas - pois somos responsáveis por elas. Na pior das hipóteses, o resultado da nossa escolha é a herança que deixaremos para a história.

Isto é um momento convocatório. Um canto de homeagem à vida - lembrando  as que foram vitimas de qualquer tipo de violência.
Neste dia - 8 de março - no dito DIA  internacional da mulher  gritamos:
Basta de violarem os nossos direitos!
Pedimos propostas e compromissos reais e efetivos com as mulheres! 

Recordemos que  somos a maior força politica deste pais, e, neste momento quero lembrar-me das mulheres que fomos e que somos.  Já fomos  muitas. Tantas. Algumas de nós sentiram-se fortes, amadas, importantes, outras nem sabiam ler ou escrever.  Até recentemente não podiamos  votar, não tinhamos  voz, nem alma, eramos apenas do lar, sombras acorrentadas aos seus senhorios ( pais, esposos, companheiros, filhos...),  e, até hoje, algumas de nós, somos   vilependiadas, vendidas, esnobadas, difamadas, achincalhadas, esbofeteadas, discriminadas...

Apesar de tudo e de todos  somos mulheres, alicerces.... Por isso eu quero homenagear o feminino, não a mulher ou o homem. Quero homenagear o verdadeiro, sensível, presente em tudo e em todos..

Quero homenagear essa força  parideira de vidas e de idéias. O criativo, o que dá a volta por cima, o fênix. A energia da mulher. Força e meiguice  que não temos vergonha de apresentar, até nos alimentamos dela.

Homenageio este feminino-masculino pois que coexistem. E, neste dia, dedicado as mulheres, fico feliz por poder abraçar a  anergia que cria. A energia que remete à existência, celebrando a Terra, que nos gera, nos ampara. A energia masculina da natureza penetra a energia feminina aberta e receptiva.Um dá e o outro recebe, criando a vida.

Na minha homenagem canto loas e madrigais, debaixo deste céu azul de nossa terra, entrego ao Feminino - o cheiro de nossas matas, o borbulhar das águas puras e brancas, o barulho dos  animais de todas as raças, gente de todas as cores e credos, flores de todas os matizes,  o vento que sopra suavemente e traz os sonhos para dentro de cada um,   e,  de toda a vida que pulsa em nós, Cios da Terra.
.
Ps - O meu artigo originou-se de um texto que li da Cleusa Bechelani que  fala da energia feminina.
.
Delasnieve Daspet - é Poeta, Advogada e Ativista das Causas quase Perdidas ( Paz, Meio Ambiente, Social, Dirietos Humanos ) , é  Presidente da Associação Internacional Poetas del Mundo; Universal Peace Ambassador - Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix - Suécia/França ; Presidente para o Brasil da Indian Intellectual Peace Academy; Representante e  Coordenadora em Mato Grosso do Sul do Proyecto Cultural SUR - Canadá; Delegada Cultural para o Brasil do Liceo Poético de Benirdon, Alicante, Espanha;Representnate do  Movimento Oro de Los Tigres - da Argentina; Representante da ABRACE - Movimento Cultural de Montividéu - UR; Governadora do Instituto Brasileiro de Culturas Internacionais; Membro da World Academy Arts and Culture Foundation - WAAC/WCF - Seul-Korea; Membro da Executiva do FESC/MS; Conselheira Estadual de Cultura/MS; .Membro da Comissão Regional da CNBB de Justiça e Paz/MS -- daspet@uol.com.br

domingo, março 03, 2013

Fim de caso - autoria Delasnieve Daspet

.
Fim de caso.
                         Delasnieve Daspet
.
Acabou.
Não me perguntes o porquê.
Não! Não te atormentes!
Acabou apenas,
Nada mais!
.
Quando quiseres lembrar-me
Bloqueie.
Finja que morri.
Faça de minha lembrança
A nuvem branca que
Ao longe se vê!
.
Melhor!
Me olhe como a fumaça
Que ao longe passa
E se dessipa no ar!
.
A comédia é finda.
Acabou sem aplausos,
Sem platéia,
Sem final,
Melancolicamente o pano caiu!
.
E...ficou o nada!
O vazio do tempo,
Que enregela a alma,
Que caminha célere...
Para onde?
.
Ficou a  tristeza.
O Inverno.
E já não tenho a chama interna
Que me faz  forte,
Claudico entro o concreto e o abstrato
Sem razão!
.
Ficamos com as sobras...
O beijo amargo,
O desamparo,
A mão pendendo no vazio,
O corpo gelado,
Nem côncavo. Nem convexo...
A gota de lágrima
Que se perdeu
Nas entranhas da terra.
.
Final de caso.
Nos perdemos como
Uma coisa sem valor
DD_Delasnieve Daspet-11,00hs 28.08.2001 - Campo Grande-MS

sábado, março 02, 2013

DUETO; DELASNIEVE DASPET E GERALDO FERREIRA - AONDE ESTAVAS ?


.

Aonde estavas ?
                               Delasnieve Dáspet
.
Aonde estavas,
Quando te buscando vaguei
Pela noite escura desta cidade fria ?...
.
Aonde estavas,
Quando no triste olhar do menino,
Perdido na multidão,
Busquei algo de ti ?...
.
Quando, pressentindo o encontro das horas,
Procurei a esperança
Nas entrelaçados do tempo?...
.
Quando a manhã,
Cansada de esperar os cabelos do dia,
Desencadeou-se na aurora....
Dando lugar à tempestade ??...
.
Aonde estavas?
Quando dormi ao relento,
Tendo por companhia as vagas noturnas?...
.
Quando,
Tendo por sonhos teus meigos sorrisos?...
Quando a doçura dos teus lábios,
Na calada da noite,
Vibrava em mim?...
.
Aonde estavas?...
Quando na árvore brincava
A vagabundagem irriquieta dos pássaros,
Em colóquios furtivos?...
.
Aonde estavas ?...
Quando na transparência das
Tardes que se alongaram
Pelas últimas horas,
Havia um convite à felicidade
Intensa e prolongada ?...
.
Aonde estavas?...
Quando ao passar entre as verduras
Das heras,
Coladas nos edificios coloniais,
Presenti,
Na quietude bucólica dos recantos,,,
A tua tumultuada ausência?...
.
Aonde estavas?.....
DD_Delasnieve Daspet - CGrande-MS - 17/08/2000-15,24 hs
.
.
Eu estou
.
Eu estou na voz do vento
Nas luzes do firmamento
Em cada ação de paz
Estou na tua coragem
Em cada sonho da viagem
Com que a vida nos compraz.
Estou também na saudade
Que nos alcança é verdade
Nas noites longas vazias
Nas esperanças que trazes
Que são ainda capazes
De transforma-se em alegrias
Nas vagas que quebram na areia
Nas noites de lua cheia
No embranhar da mata
Nas vozes dos passarinhos
Nas almas toscas dos ninhos
No murmúrio das cascatas
Estou em tudo que almejas
Em tudo que ainda beijas
No tanto que já vivi
Porque sei que a vida inteira
Guardou-me em ti.

DUETO: DELASNIEVE DASPET E WALTER DE ARRUDA: SÓ NO BRILHO DOS TEUS OLHOS


.

Só no brilho de teus olhos...
.
As lembranças são como nascentes
que correm nas faces
marcadas pelo tempo.
.
Estive um tanto assim
dos sonhos
perdi como alguém na multidão
que passou rente e eu não vi..
.
havia magia suficiente na luz do luar
para realizar os sonhos...
mas onde o vento nunca sopra,
o desejo continua apenas desejo...
.
mexo,
respiro,
estou viva...
Só no brilho de teus olhos,
etéreo facho de saudade...
DD_Delasnieve Daspet - 01-02-09_Campo Grande - MS


Delasnieve,
.
Venho na noite
Suave sem pisar forte
Trago nas mãos um bando
De Aleluias do nosso cerrado
Estrelas a cintilar caminho
Que irão te encantar
São meninos
E Meninas...
.
Alegram o Cerrado
Que a fome do mundo
Quer engolir e tosquiar
Nem a China consegue ter
Um filho só namarra. Ele chines
Teve duas e luta para ter paz
E viver normal a familia...
Sua pequenina...
Walter de Arruda

DUETO: DELASNIEVE DASPET E MARILIA FARIA - QUIXOTE


.
Não sei porque, amante do cavaleiro andante,
Adoro o Sancho, o companheiro de andanças.
Sonhar os sonhos de tão nobre figura, é dom?
Sim e difícil de "realizá-los", embarca neles o
"Armeiro" fiel, cheio de fé e não é simplório o
Baixote, apenas consegue "ver" por empatia!
Sensiblilidade pura à flor da pele,grande poeta!
-Marília Bechara-
.
.
 
Don Quichotte
Delasnieve Daspet
.
Chaque être humain possède un don.
Certains un don tout simple, d'autres un don admirable.
Nous devons découvrir et partager le nôtre.
.
Le mien, sans aucun doute, est la quête de l'harmonie,
Chaque jour je pense comment
Concilier l'abondance avec la misère.
.
Comment éliminer la banale sensation de la mort, 
Sauver les gens tombés sous la puissance de la drogue,
Mettre fin aux gémissements que cause la douleur de la faim,
Gémissements que nul n'entend,
Car le bruit de la cupidité est si grand
Qu’il étouffe les cris de l’homme qui gémit.
.
J'ai lutté avec mes armes,
Comme Don Quichotte, j’empoigne ma plume,
Et avec mes mots, des vraies baïonnettes,
Je poursuis mon rêve de justice et de paix!
Campo Grande - MS, Septembre 16, 2011
Tradução de Athanase Vantchev de Thracy e Marc Galan


Quixote
Delasnieve Daspet
.
Cada humano possui um dom.
Alguns simples, outros admiráveis.
Devemos descobrir e partilhar o nosso
.
O meu, sem dúvida, é a busca da harmonia,
Penso, todos os dias, em como
Conciliar a abundância e a  miséria.
.
De como  desfazer a sensação de banalidade da morte;
Recuperar os perdidos nos potentados das drogas;
Acabar com o gemido de dor da fome,
Gemido que ninguém ouve,
Pois o som da ganância é maior
E abafa quem geme.
.
Tenho lutado  com minhas armas,
Quixotescamente, empunho minha caneta,
E com minhas palavras, tal qual baioneta,
Persigo o sonho da justiça e da paz!
DD_Campo Grande - MS, 16  de setembro de 2011

DUETO: DELASNIEVE DASPET E MARISA CAJADO - EU E O POEMA


.
A POESIA EM MIM
.
A poesia brota em mim qual água na fonte
Vai fluindo como o horizonte
Se abrindo, ao toque da alvorada.
E luz se espraiando em ponte
E paz pulsando em minha fronte
Harmonizando sempre a caminhada.
.
A mão se espalma, segurando a pena
Alma ditando os versos, calma e serena
Meu universo se torna  colorido.
A poesia é magia que ponteia
Como o luar, na noite de lua cheia
Dando 'a vida mais força, mais sentido.
.
.
Eu e o poema
Delasnieve Daspet
.
Quando nasce, em mim, o poema,
Sou artesã, escultora,
Moldo o barro letras.
.
Cinzelo palavras como escultura.
Escrevo e reescrevo meus poemas,
Compulsivamente,
Até que todas as pedras se encaixem
E as palavras floresçam.
.
Esculpidas de minhas entranhas
Vertidas em lágrimas, sangue, suor,
Planto o amor, em forma de versos, diversos.
Delasnieve Daspet – 06.10.12 Campo Grande-MS

DUETO: Delasnieve Daspet e Sonia Nogueira - NATAL




* Natal 2012

Magos viajam na direção da luz,
Estrela vai seguindo reluzente,
O olhar acompanha rosto e mente,
O menino nem sonha com a cruz.

A hora é sublime ao som do choro,
A natureza vibra tão bela e pura,
Os anjos riem olham das alturas,
O bafo do bezerro entoa o coro.

Nasceu o Jesus Menino sobre palhas,
Nem frio perturbou o aconchego,
A mãe sorria com abraço e apego
Prostrou-se no altar, não viu as falhas.

O Céu abriu seu manto na vigília,
Nem um mal, criança tu terás aqui!
Ainda que os homens em anarquia,
Queiram teu fim, viverás em louvação.

Lembramos esta data em cada ano
Pedindo ao criador perdão e paz,
A vida se renove de modo assaz,
Unindo a família no seu cotidiano.

A janta está na mesa é meia noite
Juntemos nossas mãos para oração,
Rogando muitos anos em união,
Ó Deus, livrai-nos do braço do açoite.
Sonia Nogueira
.
.

Natal é mais muito mais

Natal...
Como vejo o Natal?!
Um abraço, um sorriso, um cartão virtual?
Natal é mais, muito mais..;
.
É este desejo profundo de um momento
de harmonia e de paz;
É o poder olhar nos olhos de quem se gosta
e celebrar o amor sem fim;
.
É a ternura que se expressa numa reunião familiar
por uma pequena criança
numa manjedoura;
.
É a pessoa que se entrega, que se doa,
que respeita e se compromete;
.
É muito mais que um nascimento a ser lembrardo,
não é apenas uma festa a se organizar;
.
Não é apenas liberar os que tem penas a cumprir,
mas indultar os que tem necessidade de justiça;
.
Não é apenas época de uma ajuda natalina,
o Natal passa e a necessidade continua;
.
Passa a ceia suculenta e permanece
o frio, a fome, a solidão, a agonia, os maus-tratos,
a falta de cidadania;
.
Lembre-se o Natal é muito mais...
Enxergue os invisíveis que caminham a seu lado,
pessoas que não são ouvidas, lamentadas, sentidas...
.
O Natal não é só um dia,
não olvide e aqueça o teu
com um fraterno abraço
. 
Pobre ou rico,
neste dia de renascimento
o essencial é o amor!

sexta-feira, março 01, 2013

Transformação - poesia de Delasnieve Daspet


.
Transformação
Delasnieve Daspet
.
Sou a união
Do átomo e da molécula,
Do hidrogênio e do hélio.
.
Vivi em milhões de galáxias,
Em estrelas e planetas
Perdidos no universo.
.
Como vegetal
Plantada em solo fértil,
Uma diferente semente,
Me percebi em árvores,
Plantas e flores.
.
Animal, oriunda da junção
Do óvulo e do gameta,
Transformada após a gestação
Na obra prima da criação.
.
Sou eu, humana e perfeita,
Com corpo, alma e inteligência,
Tentando e aprendendo respeitar
A vida que se move ao meu redor.
DD_Campo Grande-MS, 19.08.11

http://www.prefacio.net/literatura/6655/24/transformacao
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget