domingo, março 29, 2009

poema no pôr do sol


Hoje, não!

Delasnieve Daspet


Hoje, especialmente, hoje,
não vou te olhar.
Não quero te ver ou sentir,
nem te saber.

Hoje,
vou fingir que não te vejo,
que não sei quem és,
nem o que queres.

Hoje, não!
A tristeza n´alma,
a carência me abraça,
estou pobre de sentimentos,
nada tenho para dar.

Hoje,
eu apenas quero dormir,
para não ver ou sentir
nem mesmo a minha dor.

Hoje, não....
Não vou sorrir nem te olhar,
viro as costas e sigo,
fecho as janelas para que percebas
que nada quero contigo.

Hoje, não!
Sabes que finjo,
sabes que é tudo mentira,
só não sabes os meus porquês...

Aliás, nem mesmo eu sei direito
não vou e nem quero definir
as sem-razões que invadem meu peito..
Hoje, não!

Hoje,
não me remeterás as lembranças
que não quero recordar,
não ficarei dolorida,
desencantada...
Impotente, grito, covardemente:
hoje, não!
DD_02-02-04 - Campo Grande MS

sábado, março 28, 2009

convite

segunda-feira, março 16, 2009

Calidoscopio




Calidoscópio
Delasnieve Daspet

No tempo,
Olho toda a minha existência
Sem faltar nenhuma das minhas ações,
Boa ou má....

Vi-me em mil lugares diferentes...
Qualidades e defeitos,
Num eterno presente.


A percepção adquirida
Trazia à tona os mais insignificantes
Acontecimentos da minha vida.


Revivo momento por momento,
Período a período,
No mesmo tempo!


Em mim o silêncio.
Silêncio da morte.
Indefinível!

Todos meus atos perpassavam
Em minha lembrança
Cada vez mais forte...
Ah! Como ignorar-me?!

Olhos hermeticamente fechados...
Morrer e viver
Limiar tão estreito
Na fina lâmina do tempo...
DD_ Campo Grande-MS, 9/03;09

quinta-feira, março 12, 2009

Frágil...



Frágil...
Delasnieve Daspet

Mar azul opala
Calmo sem ondas
Dourado pelo sol
Que se põe alhures...
Encontro da terra, da água e do céu,
Infinito de nós.

Na areia turbilhões de
Asas brancas confundem-se
Com a espuma do mar.


No ruflar das asas brancas
- em louco bálé -,
Morrer... plantas esmagadass
Pelo vai e vem das ondas...

Solitária na imensidão,
Como um borrão na paisagem
Caminhava, só...
Imensamente só!
Frágil como um cristal!
DD _ Campo Grande - 10-03-09

quarta-feira, março 11, 2009

Destinos

Destinos.

Delasnieve Daspet


Lembro um sorriso
Que percorria teu rosto
Que abraçava teu corpo
Como uma brisa da tarde.

Lembro o andar másculo e suave
De gato manhoso
Um puma, no negrume da noite.

Lembro a voz de puro veludo
Barítono, forte
Que ecoa na memória
De tempos longínquos.

E no poente, no fim do dia
Sei a certeza de te amar
Cada vez mais.
O destino nos uniu
E nos manteve distantes!
_DD_14-10 - 02
Campo Grande MS

quarta-feira, março 04, 2009

Chorar



Chorar



Delasnieve Daspet





É tanto sentimento alojado

no meu íntimo

que ao abrir as comportas da opressão

sempre choro.



Choro por estar feliz.

Choro de tristeza.

Choro por sorrir.

Choro - com lágrimas que

lavam a alma.



Na vitória. Na derrota.

Na emoção. Na satisfação.No prazer.

São lágrimas de conquista.

De reconhecimento. De consolo.

Da satisfação de um sonho realizado.

Lágrimas de recompensa

de longas noites de vigília e espera.



Choro por orgulho de saber chorar.

Lágrimas que lavam

uma dor incomensurável

que saem de uma alma ferida.

Choro a saudade

na sinceridade do afeto.



Não quero chorar o desespero

da imprudência ou da incapacidade.

Não quero chorar a intolerância.

Não quero chorar o desamor.

Não quero chorar a falta de

caridade e nem de remorsos.



Estas são lágrimas que não aliviam.

Quando chorar, quero a alegria da paz.

Devagar vou conhecendo

A força e a beleza no silêncio do chorar!

segunda-feira, março 02, 2009

Ondas no Tempo.




Ondas no Tempo.

Delasnieve Daspet



Como uma pedra
Que se joga no rio
Venho formando ondas no tempo.

Nada importa.
Onde eu vá
Sempre estarei sozinha.

Já não pertenço a lugar algum.
Tudo que me resta são sonhos.
Agora é tarde para mudar,
- Está tudo feito! -
A chuva continua caindo.

Chuva fina e constante.
Olho a chuva,
Não suporto mais vê-la cair...

Findou o inverno
E a primavera com seus brotos e flores
Já surge nas árvores,
Na curva dos dias de sol.

Repouso minha poesia e meu canto
Numa quimera!
Caminho ao teu encontro,
Beijarei tua boca cheia de palavras,
E a saudade líquida fluirá rolando face afora.
_DD_05-10-2002
Campo Grande MS

domingo, março 01, 2009

Há Um Silêncio Hoje

Há Um Silêncio Hoje.

Delasnieve Daspet



Silêncio agora.
SILENCIO HOY
Consciência é palavra feia
CONCIENCIA Y PALABRA FEA
Para quem nega a liberdade.
PARA QUIEN NIEGA LA LIBERTAD

Observo as flores,

OBSERVA LAS FLORES
Elas continuam crescendo,
ELLAS CONTINUAN CRECIENDO
Bebendo a água do orvalho.
BEBIENDO EL AGUA DEL ARROLLO



Chegamos na encruzilhada.
LLEGAMOS A LA ENCRUCIGADA
Não podemos voltar.
NO PODEMOS REGRESAR
Nem parar.
TAMPOCO PARAR

Devemos continuar.
DEBEMOS CONTINUAR
Ir.
IR

Fechar os olhos.
CERRAR LOS OJOS
Crispar os punhos.
CRISPAR LOS PUÑOS

O que tinha de aproximar
O QUE TENGA QUE ACERCAR
Apenas separou.
ACERCAR APENAS
O amor que existia ,
EL AMOR QUE EXISTÍA
Mesmo na vida,
IGUAL EN LA VIDA
É frio como a morte!
ES FRÍO COMO LA MUERTE!

Há um silêncio hoje.
HAY UN SILENCIO HOY
O adeus continua.
EL ADIÓS CONTINÚA
A noite pensa e dorme.
LA NOCHE PIENSA Y DUERME
__DD_18-10-02
Campo Grande MS
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget