sábado, março 26, 2011

Com cheiro de terra molhada...

 Com cheiro de terra molhada ...
 
Delasnieve Daspet
 
Olho a chuva cair na tarde,
Molhando minhas saudades...
Penso em versos...
Vou  construir um poema úmido
Com cheiro de terra molhada.
.
Leve e perfumado
Como o vento que se enrosca
Nas folhas mortas das árvores
E sibilando as carrega,
Mudando tudo de lugar...
.
Mudaram  com o vento
Os meu sonhos e as minhas emoções!
Rolaram as ribanceiras
Com tanta velocidade
Que me arranhei  toda
Com as idas e vindas da vida!
.
E nas sombras das nuvens
Meu coração se esconde!
Entre um olhar e outro,
Na esfera da fumaça,
A chuva cai.
.
E na terra que o asfalto comeu
A água se coagula em lama,
Como lágrimas borradas
Na maquiagem!
.
Eu preciso
Fazer a água escoar pelos
Canais do tempo
Diluindo minhas verdadess e mentiras
Apagando minhas inseguranças,
Limpando minhas impurezas,
Fazendo brotar a vida
Na verde folha da paz!
DD_17,30hs 31-08-2001
Campo Grande MS

sexta-feira, março 25, 2011

KEDMA O`LIVER


ROSA AZUL
Kedma O’liver

Olho o jardim florido
Repleto de luz e cores
Deixando a vida bonita
Como se feita de amores.

Dentre as rosas lindas
Uma chama atenção
É linda, mais que as outras,
E desperta doce emoção.

Sua cor é de um tom
Que nunca visto eu havia
De um azul lindo, profundo,
Um ar de nostalgia.

Vejo uma rosa vermelha
Nas mãos de um alguém
Camisa nesse tom tão lindo
Como essa rosa tem.

Fecho meus olhos, recordo,
Coração aperta em dor
Lembranças de um passado
Que me encheu de amor.

quinta-feira, março 24, 2011

Outonais - Delasnieve Daspet

Outonais
           Delasnieve Daspet
 . 
 
Sou folha envelhecida pelo tempo
Que o vento carrega de um lado a outro
No vendaval que me assola!
 .
Sou verbo. Sou carne.
Sou vinho, tinto, seco,
Com sabor e têmpera
Que os anos melhoram!
 .
 
Deixei que o vento varresse
Também as palavras;
E que o brilho de meu olhar
Nasça   nas frias madrugadas!
 .
Sou um tímido raio de sol
Que se espalha na amplidão
Buscando aquecer e aquecer-me,
Neste sonhar que me cobrem
As pontas dos dedos e que
Não cabem em mim.
 .
Vou-m'embora!
Entrego-me a densa bruma
Que a lua pálida clareia e
Em cujos braços abertos
Afogo o meu penar!
E nos abraços de meus braços,
No beijo de meus lábios,
No sal do suor que me escorre
Toda a saudade que guardo
Em meus sonhos!
DD_Delasnieve Daspet - 1o.- 12- 2001-Campo Grande MS

quarta-feira, março 23, 2011

KEDMA O`LIVER - ROSTO EM LUZ


ROSTO EM LUZ
Kedma O’liver

Teu rosto vejo  estampado
em forma de lua branca
olho e fico encantado,
ficou linda a estampa.

Aves voam ao redor,
nuvens passam bem ligeiras.
Meio sorriso, encantador,
semblante feliz, faceira.

Olhos brilham com alegria,
olhando as flores vermelha
mostram sonhos e fantasia...
Ao amor se assemelha.

Tua foto está guardada
no álbum das amizades,
por todos és admirada,
por tua sinceridade.



Kedma O'liver

quarta-feira, março 16, 2011

terça-feira, março 15, 2011

DIA NACIONAL DA POESIA E DIA INTERNACIONAL DA POESIA


DIA NACIONAL DA POESIA E DIA INTERNACIONAL DA POESIA
ESCULPIR A VIDA COM LETRAS
São os Poetas, Loucos?

Delasnieve Daspet


Sim, somos loucos...
Podem discordar de nossa ótica
Mas não podem nos ignorar..

Somos nós, os loucos,
Que vemos diferente,
Imaginamos formas nas sombras,
Cores no vento, odores em nomes.
Damos vida à vida fria que vivem...

Loucos, sim! Que bom que somos loucos,
De nossa mente insana brotam lírios
perfumados lírios em palavras,
que embelezam a fria escuridão
do olhar vazio...

É a loucura que nos envolve,
Que nos faz criar e imaginar a possibilidade
De que poderíam conviver em paz,
- o universo de seres vivos que habitam -
Os planetas imaginários da galáxia ....

Confesso, somos todos loucos,
Os poetas são loucos,
Embora as coisas não sejam fáceis
Em meio a tantas queixas não aceitam a situação,
Não a deixam como está...
Não podendo transformar os fatos,
Questionam, cobram, imaginam, inventam, realizam, resolvem...


Somos loucos, para que negar?!
A loucura nos faz gritar e sorrir,
Descobrir, dentro de nós, novos caminhos,
Buscando a esperança.

Loucos, deixam rolar uma lágrima,
- Gota de sal a morrer nos lábios, -
Correm para mudar o mundo,
Na melodia que ainda está sendo escrita...

Por que não ?
DD_Campo Grande-MS, 28-01-08


 
A poesia fez aniversário - dia 14/03 no Brasil e dia 21/03 pelo mundo, embora eu ache que todo dia, toda hora, todo instante é hora de poesia.
O poeta é o individuo que estende seu olhar , sua almaa, para muito além do trivial - busca  inspiração no  cotidiano, na atualidade, nas coisas que acontecem no dia a dia pelo nosso País e pelo mundo.
Ele é o  porta-voz desses fatos. A favor ou contra canta as dores, as suas e dos   outros,  dos desabrigados políticos, econômicos, financeiros; contra os dissolutos de todas as espécies e estirpes; a favor de todas as vítimas; contra o terrorismo mundial e a violência que nos assola. Contra nós mesmo - contra o nosso egoísmo.
O poeta guarda guarda em seu coração, sua alma, sua realidade, seus sonhos, seu idealismo em razão do mundo e do amor pelos seres humanos.
Normalment eo poeta não se prende a  qualquer escola literária - apenas ao conteúdo, ao sentir que foi repassado pelo escritor. Da sua essência em si.

E a  poesia é a arte da linguagem humana, do gênero lírico, que expressa sentimento através do ritmo e da palavra cantada.
A poesia vive. Ela tem vida própria. Depende das pessoas, dos sentimentos, de cada um que a sente e a distribui. Independe de técnica ou de palavras. Pois poesia é gesto, é flor, é vento, é nuvem, tempestade, por de sol, olhos úmidos, saudades, carinho e até mesmo ódio.

Poesia, enfim, e todo e qualquer sentimento que temos. A vida é poesia. A amizade é. A traição dá um poema torto. O(a) "amigo(a) cachorro(a)  é um poema quebrado, sem vida, amargo, uma poesia que nasce doente. Esculpimos a vida com letras, sim!

ESCULPIR A VIDA COM LETRAS - é a vida do poeta e da sua poesia. O poeta homenageia  a vida - com letras de poemas - que fazem vibrar em si toda a ternura  em linhas  de sonhos.
 
A poesia, no Brasil,  ganhou um dia específico, sendo este criado em homenagem ao poeta brasileiro Antônio Frederico de Castro Alves (1847-1871), no dia de seu nascimento, 14 de março.
Castro Alves ficou conhecido como o “poeta dos escravos”, pois lutou pela abolição da escravidão, alem de ser defensor 
do sistema republicano de governo.
Sua indignação quanto ao preconceito racial ficou registrada na poesia “Navio Negreiro”.
 
Já no mundo - o Dia Mundial da Poesia, que se celebra no dia 21 Março, e, foi instituído na 30ª Conferência Geral da UNESCO, em 2000. Justificou-se a data pela “universalidade e natureza transcendental desta forma de expressão, constituindo por isso mesmo um meio incomparável para a compreensão inter - cultural e para a consolidação da paz no mundo.”
 
 
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget