quarta-feira, novembro 28, 2012

Olhar - poesia de Delasnieve Daspet

na foto - olhando o  infinito.
.

Olhar
Delasnieve Daspet
.
Olho nos olhos,
E vejo mar, céu, flores e estrelas....
Sinto florestas e rios,
Sem perdas...
.
Gosto de  olhar assim,
Todas as horas,
Peregrina de aventuras.
.
Meu olhar visita lugares insólitos,
Atravessam montanhas,
Enfrentam percalços e seguem...
.
Visitam o mundo,
Descansam em parques e templos,
E na aridez dos desertos.
.
Meu olhar vaga pelo infinito,
Como eternas palavras de saudades,
Companheira de todos os momentos.
DD_ Campo Grande MS, 27.11.11.

domingo, novembro 25, 2012

Reconstrução - poesia de Delasnieve Daspet

Reconstrução
           Delasnieve Daspet
.
Já menti para mim
Para esconder  a dor da teimosia
Que meus olhos demonstram.
.
Já chorei solidão,
Já sorri ilusão,
Da felicidade, sou aprendiz.
.
Hoje, já não me preocupo
Com o que possam pensar.
Consegui me libertar.
.
Reconstruo-me,  mais forte,
Sou liga de ferro,
                                                       Vergo e não quebro,                                               
Posso mudar e rever meus conceitos.
DD_ Campo Grande-MS, 22. 05.11

quarta-feira, novembro 21, 2012

CONVITE PARA CERTIFICAÇÃO E PREMIAÇÃO DO PROJETO " O MEU SONHO DE PAZ "

CONVITE PARA CERTIFICAÇÃO E PREMIAÇÃO
 DO PROJETO " O MEU SONHO DE PAZ "






sábado, novembro 10, 2012

" A MUDANÇA VIRÁ PELA EDUCAÇÃO" - Delasnieve Daspet





 " A MUDANÇA VIRÁ PELA EDUCAÇÃO" - Delasnieve Daspet
.
A empresa FIBRIA - do  Grupo Votorantim desenvolve um trabalho ímpar na área da educação, atuando no Ensino Fundamental I, Ensino Fundamental II e Ensino Médio, todos de escolas participantes do Projeto Parceria Votorantim pela Educação. Aqui em MS a ação é coordenada por Andreia Aparecida  de Moraes da área de Sustentabilidade. O projeto  é  uma ferramenta eficaz para valorizar o trabalho e empenho de professores e alunos, bem como de estímulo à busca por melhorias na qualidade de ensino, pois envolve toda uma comunidade.
A convite, ja participamos do Grupo de mobilização em prol da Educação no municipios de ÁGUA CLARA, em 2011:
Delasnieve Daspet em Água Clara, falando de poesia e de paz - em 2011)
.
.
A mobilização envolve  todos os agentes chave do município, dentre eles escolas, associação, conselhos, comissões legislativas, lideranças religiosas, imprensa local e interessados na temática da educação
E somos um dos  grupos do Projeto Parceria Votorantim pela Educação, que tem por objetivo somar esforços para a melhoria da qualidade da educação pública. É dividido por ciclos - sendo que o primeiro o tema: o acompanhamento das famílias na vida escolar dos alunos e o Concurso Tempos de Escola.
.Em  RIBAS DO RIO PARDO - realizou-se um belíssimo trabalho que culminou, ontem, com a premiação das escolas que participaram e dos alunos que tiveram seus  trabalhos destacados:

.
Ao participar, levo comigo o Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix, France/Suisse, uma vez que temos de falar da paz e ensinar a paz, a  partir das crianças:

 .
com música, canto, poesia,
.
 

 Artes:
.

 .
 falas, escrita, brincadeiras, entrega de premios e homenagens a alunos que tiveram seus trabalhos classificados:
.
 



.
Levo meus livros - para que conheçam o trabalho que desenvolvo no campo da poesia e da paz:

 .
Ontem, lá de Ribas do Rio Pardo, falei com o professor  Silvano de Moraes Hâgu-Tahâk,  da escola municipal Ofaié E-Iniecheki, na Aldeia ENODI, último reduto dos valentes OFAIÉS,e pedi a ele que traduzisse para a lingua ofaié um poema que estou escrevendo sobre a saga desse povo indigena. Os Ofaiés tem um trabalho de esporte e a criação de uma cartilha da lingua ofaié, elaborada pelos remanscente do massacre escravo que sofreram, abraçado pela empresa FIBRIA.

professor  Silvano de Moraes Hâgu-Tahâk,  da escola municipal Ofaié E-Iniecheki
.
Foi o que fizemos - e, a cada dia, sorrio feliz ao pensar que devagar vou construindo a minha proposta - o de falar de paz e de poesia a todos, indistintamente, as pessoas de todas as etnias, de todos generos, de todas  classes, de todas raças, de todos credos, de todas as culturas, cultos ou não, incluídos ou não, adultos ou crianças.
Lembrando, sempre,  que - 
 "A  MUDANÇA VIRÁ PELA EDUCAÇÃO!"
Añua-Guassú!

quarta-feira, novembro 07, 2012

Ninfa M’Barete – Iporãterey Cielo - Tradução e adaptação de Celito Medeiros

( pintura de Celito Medeiros )
Ninfa M’Barete – Iporãterey Cielo


"Agueru pe e me oparupigua
Petei morandu catu
Asapucaise pe itapu haicha
Amombeu hagua che cua catu
Pe che purahei guirapuraheicha
ivitu oguerahata
Pe hemdu hagua oparupi ete che cua tori
Upe Kaiowá maima ohihueteva
Hetaitema o yahe o soro
i membicuera oho pa mombiri
Heta tesai, Kaiowá hasi
Ñande retami, aretema angata pe oico
Doicatui o ñe e
Kiririhape oico
Ha moñe engu
Ñande Kaiowá hei tovema!
Oyoca i sa ,
Coa coetime, opa ma tesai
Oicove yevi, Ñande Kaiowá
Ñemonbarete ve
Ñande retami hata iterei
Co aga oñe e yevi
Osapucise
Kaiowá oicove !
Ivi ipitave
Cuarahi Omimbive
Yevi terori
Mita opucavi
Enterovete itoripa,
Ñande Kaiowá, oicove vi a
Anike pende resarai ugui mita cuimbae
O mo ñohe i tugui oñorairo hape
Ñande marangatu re
Anike pende resarai
Mita cuimbae , pe Acosta Ñu re o tiki i Tugui o mano meve
Ñande raihuhape. Ñande Kaiowá!
(Ninfa M’Barete – Iporãterey Cielo)


ESPANHOL – Dedicado a Delasnieve Daspet pela luta ao lado do povo guarani Kaiowá, sempre em busca da PAZ!
Celito Medeiros

(Ninfa Duarte – Adptacion de Cielito)

Les traigo a todos ustedes
Un recuerdo  cierto (que sucedió)
Quiero gritar como suena el volcán
Para contarles lo que yo sé
Mi canto como cantar de ave
El viento llevará
Para que escuchen por todas partes
Mi  canto mejor
Ese Kaiowá que todos queremos
Ya lloró mucho
Sus hijos ya se fueron todos lejos
Muchas lágrimas se derramaron por el dolor Kaiowá
Nuestro pueblo, mucho tiempo ya está viviendo dolor
No puede hablar
Anda callado, quedó mudo
Nuestro Kaiowá dijo:  Basta ya!
Y soltó las cadenas
En este amanecer terminó el llanto
De nuevo revive nuestro Kaiowá
Se hace fuerte
Nuestro pueblo habla fuerte de nuevo
Quiere gritar
Kaiowá VIVE!
La tierra es más roja
El sol brilla más
Vuelve de reír
Sonríen los niños
Todos están más alegres
En nuestro Kaiowá revive la alegría
No vayan a olvidar jóvenes
La sangre derramada en las peleas
Por amor a la patria
No se olviden jóvenes
La sangre derramada en Acosta Ñú
(Por amor a nosotros).


Ninfa M’Barete – Iporãterey Cielo - poema enviado por Celito Medeiros

Ninfa M’Barete – Iporãterey Cielo

"Agueru pe e me oparupigua
Petei morandu catu
Asapucaise pe itapu haicha
Amombeu hagua che cua catu
Pe che purahei guirapuraheicha
ivitu oguerahata
Pe hemdu hagua oparupi ete che cua tori
Upe Kaiowá maima ohihueteva
Hetaitema o yahe o soro
i membicuera oho pa mombiri
Heta tesai, Kaiowá hasi
Ñande retami, aretema angata pe oico
Doicatui o ñe e
Kiririhape oico
Ha moñe engu
Ñande Kaiowá hei tovema!
Oyoca i sa ,
Coa coetime, opa ma tesai
Oicove yevi, Ñande Kaiowá
Ñemonbarete ve
Ñande retami hata iterei
Co aga oñe e yevi
Osapucise
Kaiowá oicove !
Ivi ipitave
Cuarahi Omimbive
Yevi terori
Mita opucavi
Enterovete itoripa,
Ñande Kaiowá, oicove vi a
Anike pende resarai ugui mita cuimbae
O mo ñohe i tugui oñorairo hape
Ñande marangatu re
Anike pende resarai
Mita cuimbae , pe Acosta Ñu re o tiki i Tugui o mano meve
Ñande raihuhape. Ñande Kaiowá!
(Ninfa M’Barete – Iporãterey Cielo)

segunda-feira, novembro 05, 2012

De manhã - poesia de Delasnieve Daspet



 De manhã
Delasnieve Daspet
 
.
O vento sul, suavemente, balança
As árvores da praça,
O som sibila em meus sentidos,,
Atentos, à beleza que começa
Com o novo dia.
.
.
Levanto cedo para apreciar
O que a natureza nos reserva.
Coloco meu olhar n´alma,
E respeito a grandeza divina
Que se manifesta.
.

.
Ouço os primeiros sabias madrugadores,
Aves solitárias, que duelam com seus cantos;
O bem-te-vi voa faceiro,
O tucano pousa na paineira;
.

.
A coruja, em posição de alerta,
Fica em pé no telhado de sua casa;
Um bando de maritacas com seu canto
Anunciam a alvorada.
.

.
Um casal de arara canta
No que sobrou do espinheiro,
O  céu se tinge de cores suaves,
A praça toda se abre,
E, eu saio na varanda.
.

.
Ao longe os cães ladram,
Verde e amarelo vestem meus olhos
A espera do sol, que altaneiro,
Começa a surgir nos altos do Parque das Nações.
.

 .
Abro os braços e abraço o infinito azul que me acolhe,
Me envolvo nos  raios dourados do alvorecer,
Emito um som gutural em guarani:
Iporãterey!
.
 .
Me entrego ao momento, fico em silêncio,
O amanhecer  é substituído por um dia radioso,
Céu de anil com raios dourados
Enchendo a vida de energia.
.
 .
O céu, agora, uma feeria de cores, deslumbrante,
Minha terra se engalana de luz, de calor, de harmonia,
Tudo fica perfeito,
Um convite para saborear a vida!
Delasnieve Daspet – 31.10.12 Campo Grande-MS
.
.
as fotos que ilustram este poemas foram cedidos
 pela Dra. Keila Matiolli
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget