segunda-feira, abril 27, 2009

poesia de final de noite....

RUPTURAS.

Delasnieve Daspet.

Arco íris, voz do vento.
Castelo de areia, ondas do mar.
Canto de amor, historia.
Sigo a minha maneira,
Ou a maneira de Deus.

Nunca acredito que certos fatos
Vão se concretizar.
Principalmente a morte
E a angústia que fica.

Estão todos indo embora.
Aos poucos.
Mas vão,
Para não voltar.
Sem aviso prévio, sem adeus.
Sem até breve.

Seguem em silêncio.
Absoluto.
Quase em segredo.
E nos ficamos sem tempo
De dizer a quem amamos;
- Como te amo!

Não tem como mudar os fatos.
Perde-se todos os dias
Para a eternidade, para a vida!
Nos tomam!
Levam consigo um pouco de nós!
Ou muito.

Cada partida diminui na alegria,
No sonho,
Nas palavras.
Vai-se embora a ilusão da imortalidade
Que perdura no homem!

Não somos eternos.
Não vamos viver para sempre.
Não temos todo o tempo do mundo
Para abraçar,
Para dizer as frases guardadas nas gavetas de nós!

Como dói a perda.
Como dói regar a saudade.
Conviver com a ausência.
Fragilidade estampada numa fotografia antiga!

Fica a lembrança da cumplicidade,
Das culpas, das desilusões.
Não veremos mais o sorriso,
Não sentiremos mais o cheiro.
Não ouviremos a voz.

.....E isso dói tanto.
Estão indo todos embora,
Uns antes, outros depois,
Separados.....
E eu aqui - olhando a distância,
A mudez do infinito.
_DD_06-2002 - 8 hs
Campo Grande MS



domingo, abril 26, 2009

Cada Lágrima que Guardo...








Cada Lágrima Que Guardo...

Delasnieve Daspet


Somos tão absurdamente frágeis...
Tão frágil que não entendo que
Somos apenas humanos.

Questiono-me, em alguns momentos,
De solidão recolhida,
Qual o propósito da vida?

Quanto tempo vamos durar?
Qual é a nossa missão?
Que existe, existe... não teria sentido
Estarmos por estar, apenas!

Olhar o pôr-do-sol, a gota da chuva,
O riso, vivendo, amando, odiando,
Magoando, chorando, sorrindo,estamos aqui,
É este o nosso destino?

Como preservar-nos?
Existe um dia definido para as coisas?
De que vale a vida que sorrimos ou
A morte que lamentamos ?

Canto-a hoje... Canto-a sempre...
Canto-a porque, eu e ela, nós,
Quando nascemos - chegamos juntos,
Anunciada ou escondida, cada dia,
Sinto-a tão presente, mansa e sorrateira,
Com sua ceifadeira!

Enfeito-me ó morte, vivo-a em vida...
Vivo em toda a essência,
Aproveitando o ideal que me abrasa
E que me faz parte de um Todo!

Meu destino, meu fim,
Tão igual ao de milhares...
Imperscrutável!
Não serei lavada nem com mirra ou incensos,
Não estarei coberta nem de ouro ou pedras,
Mas, na cova rasa, de terra...

No céu , a lua é quase nova,
Mercúrio e Vênus ingressam em Capricórnio,
Aqui na Terra - nenhuma alma de boa vontade
Pode explicar as mutações tão radicais que
Chegam...


Tornamos tudo mais difícil,
Mantemos tantos conflitos,
Promovemos guerras e preconceitos,
Ainda não percebemos que estamos
Num processo de mutação radical
E que estamos saindo de cena...


Em meu peito, cada lágrima que guardo,
É para chorar porque sou humana,
Demasiadamente humana....

Em Campo Grande MS
Às 23,30 hs

sábado, abril 25, 2009



Sempre e Sempre...
Delasnieve Daspet


Olhos fechados,
Uma maravilhosa vigília!
Fico imaginando a noite...
Lembro momentos de carícias supremas,
sob a luz da lua, na janela,
quando em teus braços
fiz-me pequena,
frágil, passiva, mulher!


Num mudo silêncio, olho-me, longamente.
Eu, ainda, sou a mesma.
Meus sentimentos, também.

Mas, ainda que diga que o passado não exista,
que não sei,
que não quero saber o que fizestes,
ou deixastes de fazer,
ainda assim, haverá entre nós,
sempre e sempre,
a memória de uma outro alguém.

Já imaginastes como seria isso?
É melhor reconsiderar.
Estar só, agora, é uma necessidade.
Necessidade tão forte quanto possível.

Lá na colina o sino tange...
Eu, fico vendo e revendo sentimentos,
na fria bruma que me abrange,
... Não é fácil!
DD_Campo Grande - MS-28-Abril-2004

Nem Ontem, Nem Amanhã...


















Nem Ontem, Nem Amanhã...
Delasnieve Daspet

Não existe nem ontem nem amanhã.
Só existe este momento,
que deve ser aproveitado,
por ser mais precioso do que pensamos.

Sentei-me a beira do lago,
de óculos escuros, para melhor observar,
Mesmo que o sol já tenha se inclinado no horizonte.

A superfície do rio estava lisa
apenas dois biguás deslizavam,
deixando atrás de si um " V ",
quebando a monotonia.

No alto uma gaivota gritando,
rodopiava no ar, no crepúsculo, desaparecendo.

Na beira do rio,
lado a lado com as lembranças,
através das lentes escuras,
olhando os círculos que se expandiam
na superfície, estávamos, eu, e o Hoje...

O sol já se despedira,
uma leve brisa afagava meus braços...
Estava pronta para voltar.

Sou grata a vida
por deixar-me captar a sua essência...
E nesta caminhada levarei as recordações
Que aquecerão o entardecer de minh´alma...

DelasnieveDaspet
Campo Grande MS
17.08.03

sexta-feira, abril 24, 2009

Assim Como As Folhas Que Tremem...

Assim Como As Folhas Que Tremem...


Delasnieve Daspet


Assim, como o sol que se curva a cada manhã;
Assim, como as folhas que tremem
Com a brisa refrescante;
Assim, como um pássaro a céu aberto,
Numa ânsia que toma,
Assim, no meu silêncio, este lamento.

Escrevo no pó da estrada
A profunda dor de minha mágoa.
E na aridez de minha saudade,
Com o canto preso na garganta,
Sou a lágrima triste
Que pinga sobre tua lembrança!

Assim sou, assim sigo
Um mero reflexo na janela...
Esta mentira é tão real que dá pena,
Sem perceber, sou eu mesma, quem vaga,
Na multidão que não passa...

CAMPO GRANDE MS
31.05.04

quarta-feira, abril 22, 2009

Vinte Anos



Vinte Anos


Delasnieve Daspet


Anos 70....
Flor de vinte anos,
Turbulentos anos,
País subjugado,
Censura explícita,
Período sem copas,
Amargas derrotas!


Jornais com receitas ou poemas,
Universitários reivindicando;
Leila Diniz incomodava com a sua alegria
Sem pudor, sem tabus.

Topetes, calças boca de sino,
Cuba livre, hi-fi, mini-saias,
Brilhantina e os embalos de John Travolta.

Cenas alternativas do underground,
Calça lee e jaquetas de franjas
Gritávamos contra o sistema...


Jemmy Hendrix e woodstock,
Beatles, Rolling Stones, Chico,

Caetano, Bob Dylan, Milton
Uma paranóia total!


Relembro e que nostalgia que dá...
Reuniões escondidas,
Cheirando subversão...


Viver todos os momentos...
No ar, o hippie jeito de ser,
Que ainda hoje perdura
- Paz e Amor -

Na distância que encolhe os dias!
DD_17-02-09-Campo Grande-MS

domingo, abril 19, 2009

Lembranças



Lembranças

Delasnieve Daspet

Há um recanto
Onde respiro ar puro...
Nas planícies verdejantes
Serpenteado por lindos rios
Me perco em deslumbradas saudades...

Floresta rala de nosso cerrado,
Casinhas de barro,
Quintais com frutas,
Cercas com trepadeiras,
Pequenos jardins onde florescem
As onze-horas.
Dias infindáveis
Andei por todos os lugares...

A noite há muito sobreveio
Mas ela não existia em mim....
Era dia... Sempre dia.
A sombra que tudo escurece
Nada pode tirar de minhas lembranças...

sábado, abril 18, 2009

Meus sentidos já não deténs

Meus sentidos já não deténs...

Delasnieve Daspet


Vi teu vulto de braços erguidos
Como asas de colibri,
Estavas a sorrir...
Sorrindo, recordei...
Vestido, apenas, com meus braços.
Nu - como a folha que voa perdida
Naquela noite, setembro, outubro?
Já não lembro!

E de novo tua lembrança perturba.
Teu cheiro, vento de abril?
Me causa um misto de ternura e espanto,
No mistério que ainda ofereces,
Oásis, na secura da vida.

Lambuzados - do prazer que desvaria,
Da emoção que domina, que toma,
A atração que nos juntou,
Loucos, famintos, sedentos deste calor,
Ainda lembro...

Agora - olhando percebo tudo tão diferente,
Sorris ainda, mas meus sentidos
Já não deténs!
**
DD_21.02.05-Campo Grande MS
delasnievedaspet@uol.com.br






Meus sentidos já não deténs...

Delasnieve Daspet


Vi teu vulto de braços erguidos
Como asas de colibri,
Estavas a sorrir...
Sorrindo, recordei...
Vestido, apenas, com meus braços.
Nu - como a folha que voa perdida
Naquela noite, setembro, outubro?
Já não lembro!

E de novo tua lembrança perturba.
Teu cheiro, vento de abril?
Me causa um misto de ternura e espanto,
No mistério que ainda ofereces,
Oásis, na secura da vida.

Lambuzados - do prazer que desvaria,
Da emoção que domina, que toma,
A atração que nos juntou,
Loucos, famintos, sedentos deste calor,
Ainda lembro...

Agora - olhando percebo tudo tão diferente,
Sorris ainda, mas meus sentidos
Já não deténs!
**
DD_21.02.05-Campo Grande MS
delasnievedaspet@uol.com.br

sexta-feira, abril 17, 2009

boa noite





boa noite....
trabalhei tanto nestes dias...
que nem tive coragem de entrar aqui...

sexta-feira, abril 10, 2009

Paixão



Paixão

(Delasnieve Daspet )

Nunca consegui dimensionar o sofrimento do homem Jesus Cristo.
Pessoas de minha geração leram e lêem a bíblia.
Muitos, praticam os ensinamentos.
Acho que me faltava a fé. A fé no imponderável. A fé no onisciente.
A fé que do amor faz bastar as dúvidas e tornar a paixão incomensurável.
Como é que, eu, pés de barro, poderia entender esse amor, essa entrega, esse sacrifício, essa doação?
Num louco momento, ouso, ( todo poeta ousa sonhar e imaginar coisas impossíveis e vãs ), pois é, ouso comparar nossas vidas com a vida de Jesus.
Ouso confrontar nossos sofrimentos com os Seus. A nossa morte diária com a Sua.
Coloco-me frente a vida, olho-me no espelho de minha consciência, avalio minhas cicatrizes, as cicatrizes que a vida nos deixa...
Por que Ele morreu por mim?
Eu seria capaz de morrer por alguém?
Como entender esse amor?
Como aceitar essa doação?
Tantas coisas questionamos nas coisas que vemos no dia a dia...
Lá na rua jaz, em poças de sangue, uma criança de seus quinze anos... Seu corpo franzino, humilde, tatuado, encontra-se abandonado.. ao léu, carente de uma atenção que não lhe foi dada!
A violência esta em todos os nossos momentos e atos, sintomático resultado da desagregação social, do desajuste familiar, da exclusão, pela falta de ocupação...
É Jesus que tem sua paixão diária em todos os lugares do mundo?
É Jesus quem morre todo momento na situação endêmica em que vivemos ?
É Jesus quem morre com o fracasso do ser humano... com o fracasso do amor?!
Ou somos nós a morrermos na solidão do dia a dia e na falta da compaixão por nós?
Ou nem sabemos amar?
Só pode entender o amor da Paixão quem saiba amar, quem olhar o semelhante como a si mesmo.
Há tanto a aprender.
Há tanto a perdoar.
Há tanto a amar e a viver o sonho da vida.
DD_Campo Grande MS Abril-2004

quarta-feira, abril 08, 2009

Eis-me...




Eis-me...

Delasnieve Daspet

Eis-me a teus pés,
Numa aceitação muda de mim,
Corpo e alma, defeitos,
Inteira no tempo e no espaço,
Resistindo e caindo, levantando trôpega,
As mãos estendendo no apoio que me dás..

Eis-me aqui, uma vez mais,
Plena e vazia
Nua, sem as maldades humanas,
Companheira da mesma estrada.

Calo-me, em meu olhar o nada,
A verdade crua do vazio
Dos gestos que se calam
Na entrega que te faço do meu eu

Eis-me....
Me multiplico, somo, diminuo,
Confusa regra de três
Neste imperfeito mundo
Onde o normal é a loucura,
E anormal é a ternura!


Eis-me, ôca nesta oca,
Em busca de melhora,
Amar deve ser a regra e
Não exceção!

Bonito_MS


Canto à Mato Grosso do Sul - Delasnieve Daspet


Bonito_MS
Onde o verde chega a doer ao desavisado olhar,
Onde a piraputanga, o pacú, o dourado, o pintado,
nadam lado a lado do humano,
este, o verdadeiro predador...

Bonito é lindo em qualquer época,
A onça pintada ainda bebe água, nos finais de tarde,
nos corichos por andam, também, o veado, o cateto,
porco do mato, o tuiuiú, a garça branca e o Martim-pescador

Conheçam o que sobrou da Mata Atlântica,
esse insuspeitado pedaço, aqui , no centro
do nosso amado Pantanal.

E quando aqui chegares, me avise,
estarei a tua espera com poesia, chimarrão, tereré,
uns bons causos e quem sabe - se for em tempo hábil -
até uma pescaria...


Mato Grosso do Sul, meu canto maior,
Meu sonho, meu sangue se fundirá com teu solo
Um dia...

Um dia Tu e Eu - neste imorredouro amor que nos une
floresceremos como as margaridas - brancas e amarelas -
- cores da nossa bandeira, enfeitando o nosso céu azul,
Serei enfim - tua, completamente tua, Terra Amada.

Unidas, para todo o sempre, no vermelho-roxo
do pó que seremos... amalgama!
Juntas - minha Terra - estaremos
No meu poente.
24hs-06-01-08-Campo GrandeMS

FLAGRANTES DA CARMINHA



COM O TOBY

CARMINHA E EU






COM A ANIK





nO DIA DO SEU ANIVERSÁRIO

CARTA DA PAZ

Familia - é a base!

AMIGOS - AMIGOS - AMIGOS!!








Jazinha e Anik









Jazinha e Tobby

CONSTRUINDO A PAZ...


( Associação das Familias pela Paz Mundial )


Escola de Paz...
Delasnieve Daspet


Muito se fala de paz, mas não se vive a paz...
É só observar o óbvio: no mundo,
Morrerm milhões todos os anos por conflitos de guerra,
de fome, doenças...

A paz é uma aventura diária,
Temos de descobri-la todas as horas,
em nós, nos outros, no próximo - ao nosso lado.

Temos de viver as diferenças,
Costruir - de maneira múltipla
o respeito pelo indivíduo...

Humildade, serenidade, solidariedade,
Amor ao próximo,
Doar, dar, oferecer,
Congraçamento, ternura,
Caridade, compaixão pelo Mundo,
São as matérias desta Escola...

Precisamos de uma escola de paz!
Pela instrução faremos as mudanças necessárias...
Precisamos de uma escola que tenha por alvo
Educar os homens para que construam
pelo bem da Humanidade!
Campo Grande-MS, 16 de julho de 2007.

CONSTRUINDO A PAZ...


( Associação das Familias pela Paz Mundial )


Escola de Paz...
Delasnieve Daspet


Muito se fala de paz, mas não se vive a paz...
É só observar o óbvio: no mundo,
Morrerm milhões todos os anos por conflitos de guerra,
de fome, doenças...

A paz é uma aventura diária,
Temos de descobri-la todas as horas,
em nós, nos outros, no próximo - ao nosso lado.

Temos de viver as diferenças,
Costruir - de maneira múltipla
o respeito pelo indivíduo...

Humildade, serenidade, solidariedade,
Amor ao próximo,
Doar, dar, oferecer,
Congraçamento, ternura,
Caridade, compaixão pelo Mundo,
São as matérias desta Escola...

Precisamos de uma escola de paz!
Pela instrução faremos as mudanças necessárias...
Precisamos de uma escola que tenha por alvo
Educar os homens para que construam
pelo bem da Humanidade!
Campo Grande-MS, 16 de julho de 2007.















CTG TROPEIROS DA QUERÊNCIA - 21 DE SETEMBRO DE 2008




amigos que ajudam a construir a paz!!

A PAZ É O CAMINHO


( O Encontro da Paz! )

(Delasnieve Daspet)



Verdor nos campos.
Terra cheia de flores.
Gramado verde do porvir.
E ao olhar tanta vida
fito na tela as
minhas lembranças!
Estou a ver
tua imagem gelada,
congelada em mim.

Na sombra do ipê.
Ipê roxo.
Onde escrevemos nossos nomes
no tronco.
Os nomes ainda estão lá,
para nos lembrar
os sonhos. Doces sonhos.

E agora ?
Agora, tudo é escuro!
Cerros os olhos.
A retina dói.
Apuro os ouvidos.
Alguém chama...

É o Ipê!
Sim. O ipê!
Sinto que seus galhos vergam
e parecem dizer:
"...Vem..senta-te aqui.
encontra a tua voz!..."

Sento. Converso com ela.
Conto de meus ais.
E no vento da noite,
ao pé do ipê, - lastimo
a dor que me corrói...!

Nas lágrimas tudo se quebra.
Uma vida renasce.
Ao pé do Ipê -
da minha meninice,
no fundo do quintal -
encontro, enfim - ,
a minha paz!

Campo Grande MS

papeando...




oiii


tenho que ajeitar este blog...
não sei ainda como fazer isso
mas estarei aprendendo devagar.. quero deixar ele lindaço!
Precisoa char a ponte entre a vontade e o saber fazer...

dd

SEMANA SANTA




SEMANA SANTA


Delasnieve Daspet

Hoje, quinta feira santa - lava-pés.
Três dias que antecedem o
ritual da ressurreição.
Para se entender a semana santa
temos de entender o que é quaresma,
páscoa, domingo de ramos, paixão,
morte e ressurreição.

Na quaresma Jesus jejuou no deserto.
É o momento de reavaliar a conduta, de
viver a caridade, a oração, o jejum,
conseguir o equilibrio interior.

A páscoa tem data móvel porque
é celebrada - no hemisfério sul -
na primeira lua cheia depois da entrada
do outino. A primeira lua cheia depois
do equinócio. Lua cheia esta, pelos
calendários da Igreja.

Semana Santa - tem seu início no
domingo de ramos - quando se comemora
a entrada de Jesus em Jerusalém para a
páscoa dos judeus. Nesta data são benzidas
ramos de oliveira ou de palmeiras.

Na quinta feira - é a celebração da Ceia
do Senhor e a cerimônia do Lava-pés.
Uma lição de humildade.

Na sexta - silêncio e reflexão.
É o dia da morte de Jesus.

Já no sabado de aleluia aguarda-se a
ressurreição do Senhor
e também malha-se Judas,
o traidor.

Domingo é a páscoa, simboliza a
ressurreição e o renascimento.
Muitas de suas tradições originaram-se
nas festas pagãs e outras no pessah judaíco.

Esta é a historia que
a humanidade conta há dois mil
anos e na qual confia e espera!
_DD_Campo Grande, 17 de abril de 2003.
14,00 hs.

quinta-feira, abril 02, 2009

Em Corumbá

AS FERAS...




Eu, Ju e Aida

SGI CAMPO GRANDE



HOMENAGEM À SENHORA KANEKO IKEDA

MISHA



A Princesa...

ganhando presentes...

60 anos DH




Delasnieve Daspet junto do painel...

60 anos dos Direitos Humanos


apresentação de CApoeira.. equilibrio - beleza - força...


Distâncias

Delasnieve Daspet



Os braços não se alcançam...
Ficaram longe.
Tão longe!

A ausência cada vez mais presente.
A saudade valoriza o inatingível...

Antes, quando nos encontrávamos, que loucura!
Eram beijos e abraços infindáveis,
De manhã, a tarde e a noite....
Como se a distância entre nós
Fosse espacial!

Hoje a nossa distância é de perspectivas,
Universal...
E percebo que não eras o que eu buscava,
Tampouco sou o que queres!

Temos sonhos diferentes.
Ao abrirmos as janelas
Descobrimos o vazio do outro lado!
DD_18--02-09- Delasnieve Daspet
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget