sexta-feira, junho 05, 2009

A Verdade Estava Nua...






Verdade Estava Nua.


Delasnieve Daspet

Ainda tem um cheiro de
Outono no ar.
As folhas caem acolchoando o chão,
Roçando a pele, - úmida - ,
Como um beijo.

A verdade é o que busco.
Não encontro eco nos atos
Mas um grande vazio
De coisas findas.

Um cheiro de outono.
E o vento levou
Uma vitalidade do veneno,
Seiva da morte.

Que nome darei a este cheiro
Do vazio marmorizado
Do outono?

Mas - também -, que importância
Tem um nome?
Nomes são insignificantes
Para quem esconde algo
No coração...

Um dia vais acordar,
Com a alma gelada,
Em estado de contemplação,
Verás que está tudo demais...

E na mente as folhas perdidas,
Vão balançar nas arvores ressequidas,
E verás:
A verdade estava nua.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por nos visitar, por nos ler e por deixar um comentario.
Volte sempre!

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget