quarta-feira, agosto 28, 2013

Ventos - poesia de Delasnieve Daspet

Ventos
 Delasnieve Daspet
.
Como venta...
Tem um tucano que pousa sempre
No mesmo galho,
Será o mesmo que vem todos os dias?
.
Croac...croac...
Que estranha é a sua voz...
Seu bico o faz pender para os lados,
E lhe empresa as cores da luz.
.
O vento sibila...
Ouço no seu cantar a tua voz...
Tens a voz dos sete ventos,
Que me embriaga de emoção e encantamento.
.
Sussurra o vento sul,
Como um rangido vem o norte,
Cheios de folhas chega o oeste,
Limpa o tempo o vento leste.
.
O noroeste chega calmamente
Percorre minha pele;
Suave, como seda, sopra o poente,
E sorrateiro, me faz tremer!
E, em sua corrente, traz a tua voz,
Silenciosamente.
.
Sopram os ventos  ao mesmo tempo...
Fazem-me sentir os sons que entoam em mim
O prazer de te ouvir!
DD_Delasnieve Daspet – Campo Grande-MS 16.08.13

Um comentário:

  1. Senhor, Quem é esta Poeta tão insígne que colocaste neste vasto mundo?
    Quem é esta Poeta que verseja, que luta, que escreve coisas as mais triviais, como fios de ouro?
    Quem é esta Acadêmica do mundo que sabe parar para Poetar, para nos colocar com o coração aos saltos,
    para querer levar a Paz para todo este mundo?
    Quem é esta poeta, esta escritora, que me comoveu tanto que me pus a escrever.
    " Que estes ventos sejam sempre benfazejos, em tua vida."
    Não repares, amiga, mas és grande na tua pequenês e eu te aprecio demais.
    Um beijo terno de tua amiga,

    Eda " Poeta Amor" - Eda Carneiro edacarneiro@uol.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada por nos visitar, por nos ler e por deixar um comentario.
Volte sempre!

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget