domingo, junho 24, 2012

DUETOS COM DELASNIEVE DASPET - Chorar, de Delasnieve Daspet/ Chorar de saudade-Marcoantonio

.
Chorar
 Delasnieve Daspet
.
É tanto sentimento alojado
no meu íntimo
que ao abrir as comportas da opressão
sempre choro.
.
Choro por estar feliz.
Choro de tristeza.
  Choro por sorrir.
Choro - com lágrimas que
lavam a alma.
.
Na vitória. Na derrota.
Na emoção. Na satisfação. No prazer.
São lágrimas de conquista.
De reconhecimento. De consolo.
Da satisfação de um sonho realizado.
Lágrimas de recompensa
de longas noites de vigília e espera.
.
Choro por orgulho de saber chorar.
Lágrimas que lavam
uma dor incomensurável
que saem de uma alma ferida.
 Choro a saudade
na sinceridade do afeto.
.
Não quero chorar o desespero
da imprudência ou da incapacidade.
Não quero chorar a intolerância.
Não quero chorar o desamor.
Não quero chorar a falta de
 caridade e nem de remorsos.
.
Estas são lágrimas que não aliviam.
Quando chorar, quero a alegria da paz.
Devagar vou conhecendo
A força e a beleza no silêncio do chorar!
DD_Delasnieve Daspet - 25.10.02 - Campo Grande - MS
.
.

Chorar de saudade.
Marcoantonio.

Não me envergonho de chorar,
não me sinto fraco, nem penso
que deva ocultar o meu pranto...
O meu pranto é real,
no sentido da realeza
e não somente no da realidade virtual.
Choro de saudade de teus beijos,
que ainda ontem enfeitiçavam a minha boca
e adornavam meu coração...
que deles chora de saudade.
Sinto o aperto na garganta,
que, como faca afiada,
vai cortando os pedaços da minha alma,
que te ama e te adora
e não se conforma com a distância de tuas mãos
e deseja a carícia de teu amor...
Choro por ti, não porque exista
a dor do adeus imotivado...
Mas meu pranto é chorado,
porque amo todo o amor que fizemos
e que merecemos viver...
Choro pela falta das mãos, que aprendi a afagar,
fora da realidade do poema...
Todo o meu tema é um canto de amor
sem limites a te consagrar na minha vida...
Minha mulher querida,
é teu o meu sonho e a minha realidade,
por isso vem a dor da saudade
me fazendo confessar,
entre lágrimas e soluços,
que só a ti eu quero amar...
Para chorar o amor amante,
é preciso a coragem de um gigante,
que se ajoelha, diante da tenda  de sua amada
e lhe diz que esta pousada
não é irreverente, nem mal pode causar...
Meu amor por ti não é loucura,
ele todo é ternura pura,
que sentiste em minha boca,
quando dela, ainda ontem,
sentias o calor dos beijos,
que nos demos...
Tenho o direito sagrado
de chorar sobre o meu poema,
quando esta mulher amada
se encontra longe de mim,
na materialidade contida na distância...
e na presença alicerçada no amor de nossas almas.
Choro por ti, com o coração
 doendo de emoção e imbuído de amor...
Te espero com a sofreguidão
da impaciência de minha alma,
que perdeu  toda a sua calma
e só clama por teu amor...
Amor da minha vida,
adoração perene de teu poeta,
que te deseja a todo o instante,
mesmo que em meu semblante
se mostrem, agora, tantas lágrimas... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por nos visitar, por nos ler e por deixar um comentario.
Volte sempre!

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget