domingo, fevereiro 05, 2012

Reminiscências por Delasnieve Daspet

 
Reminiscências
 Delasnieve Daspet
              .

Hoje, serpenteando, como um rio,
Por vales, montanhas, flores e espinhos,
Confundo-me na correnteza
De minhas múltiplas existências...
 .
Ávida, sem qualquer repouso,
Pesquisei o princípio e o fim,
Que permanece envolto em denso véu...
 .
O incompreensível é tão monótono!
Agora percebo que nada importa
Neste  mundo transitório,
E minh´alma se espalha
Nas diversas nuances da imensidão...
 .
Numa retrospectiva, relembrando, vejo
Um oásis – que à minha lembrança –
É permanentemente verde,
Flores pela manhã e a noite,
Onde os pássaros fazem ouvir seus trinados.
 .
Na matina o orvalho cintila
Como pétalas perfumadas
Aos meus pés.
 .
E o rio de minha infância,
Onde as flores se miram,
Brinca, cristalino, nas matas,
No suave burburinho do amanhecer.
 .
Olho-me, eu também, quero ver-me
Refletida nas águas do Rio Tereré,
E vejo, não as cãs brancas pelo tempo,
Mas a imagem de uma pequena flor do mato,
Que balança, suave, impelida
Pela brisa da manhã...
 .
Do átomo que sou
Do grão de areia, do rochedo,
Do ar, da água, da flor, da  ave,
Dos animais de todas as espécies,
De toda a atmosfera, de toda a terra,
Que circundam todos os caminhos
Completamos  a Humanidade!
DD_ 13.10.09 – CGrande-MS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por nos visitar, por nos ler e por deixar um comentario.
Volte sempre!

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget