domingo, novembro 07, 2010

Um grito sem voz...

Um grito sem voz...
             Delasnieve Daspet e Alberto Mello

Que ache (na vida) o sonho.
Que o afague e o torne belo...
Eu vi na escuridão a luz.
Eu vi a fagulha de fogo que ardia.
Eu vi a água corrente nos rios.
Eu vi...
.
Vi a fome sem sentir.
Vi o frio sem suportá-lo.
Vi a vida que ia passando
Em cada minuto do relógio.
Eu vivenciado...
.
Eu vi a chuva castigando.
Vi a seca matando.
Eu vi na brisa que balançava o cipreste.
A alegria do não ser.
.
Seus sentimentos me deixaram sós...
Vi um menino correndo.
Descalço e alegre.
Vi minha infância nele...
.Vi o pedinte com fome.
Triste eu fiquei...
Eu vi...
.
Vi o horizonte ao longe.
Sua linha eu não  vi.
Vi o amor passar...
Bem distante...
E com ele a solidão me assolar.
.
Vi meu id dominando...
A minha vida que passei sonhando.
Vi um mundo calado,
Mas vi o amigo ao meu lado.
.
E quando o destino quiser 
Estarei aqui...
E, o que há de vir comigo
Pois estarei com meu amor ao meu lado.
.
Eu vi...
E, apenas  voz que sou -
Não calei o que eu vi!
...
Este poema foi  "concebido"  lá na
salinha de chat da luna&AmigosAcima40a no UOL
em parceria com o grande poeta RENOIR/RJ - o AlbertoMello
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por nos visitar, por nos ler e por deixar um comentario.
Volte sempre!

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget