domingo, abril 25, 2010

Insônia³















Insônia

Delasnieve Daspet

.


Não querem cerrar-se as pálpebras,

Magoadas....

O sono não chega.

Noite, no mais profundo silêncio,

A cerração e a escuridão era tal.

.

Mergulhando em perene penumbra,

Imaginei que nunca mais haveria de amanhecer!

.

Como um salgueiro triste,

Prendi minhas raízes no solo onde morrerei

De saudades...

.

Noite negra, velório de trevas,

O vento na face suaviza a ardência,

Fustigada pelas lágrimas...

.

Esgoto o cálice – lentamente!

DD_Campo Grande – MS – 9.02.10



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por nos visitar, por nos ler e por deixar um comentario.
Volte sempre!

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget