segunda-feira, abril 23, 2012

O ADEUS A UMA MUITO AMADA AMIGA

MISHA
MARÇO DE 1998  - 22 DE ABRIL DE 2012
.
O ADEUS A UMA MUITO AMADA AMIGA
Começou na quinta...
Ela não comeu, não tomou agua.
Foi piorando.
Passei a noite com ela nos braços...
E a liberei pela manha - disse-lhe que podia ir...
Que não se prendesse por nosso amor.
Que um dia nos reveriamos.
Tenho certeza disso.
E meu floquinho de neve, aquela bolinha de pelo branco que chegou aqui há tantos anos
libertou-se.
Deve estar agora no céu dos cachorros.
Teve intenso amor - amou muito e foi muito amada.
Era a princesinha da casa.
Na verdade nem precisava falar  etendiamos tudo o que dizia o seu olhar tão amoroso.
Mas como doi a separação!
Misha esteve presente em varios poemas meus.
Declarei e exaltei sua amizade, lembrei-a em todos os momentos, por onde andei.
Recordo seu sorriso de dentes branquinhos  quando fazia alguma arte.
Misha sorria - ou as lambidinhas nos pés ou nas mãos.
E o latido chamando para ir dormir.
Era minha - mas ela tinha escolhido o Nelson, e, assim foi durante toda a sua vida.
Se o Nelson não estivesse em casa, então,  ela ficava em meus braços.
Para o coração da Misha sempre fui a segunda opção.
Mas amei-a e a amo com todo o carinho e sentirei muitas saudades.
Estou chorando - porque uma amizade que se vai não tem nada que substitua.
Nada. Nem palavras, nem outro cão.
Cada um deles é um.
Tenho duas amigas queridas que também amam seus cachorros, a Jazinha e a Neli.
A Neli, também, perdeu a Lara. Hoje, também! Que triste concidencia!
Confesso que lágrimas rolam pela minha face e que meu coração esta apertado...
E nem ousem dizer: chorar por um cachorro?!
Sim, estou chorando por um ser vivo maravilhoso que  nos deu amor, fidelidade, cumplicidade, lealdade e amizade, por 14 anos.
E sei que vou chorar sempre - porque o unico sofrimento que ela nos deixou - foi este - o de sua partida.
No mais foram festas e festas, alegria e alegria.
O chato é que ela morreu sozinha - na clinica, mas ela sabe que nao a abandonei, mas que tentei de tudo para driblar a morte. Perdi.
Antes de sair da clinica, dei-lhe a total liberdade de partir - eu vi sua dor, ela se queixava em meus braços - não podia ser tão egoist ano meu amor...
Acariciei sua cabecinha branca e seu doce olhar, dei-lhe um beijo e disse-lhe que podia ir - que estava livre para voar.
Que o nosso amor por ela seria  eterno pois nada ou ninguém substitui um amor verdadeiro.
Precisava falar - dizer do amor incondicional que esses animaizinhos nos dedicam e que muita das vezes não retribuimos...
Eu choro a saudade, pois esta nada muda ou modifica, mas a propriedade responsavel é a que me causa conforto e me consola.
MISHA - FOI E SERÁ SEMPRE UM GRANDE AMOR EM NOSSAS VIDAS.
Obrigada querida amiga, filha, parceira, companheira.
Nos aguarde - que chegaremos. E sei que me receberas com teus latidinhos, lambidinhas e sorriso gentil de amiga, de irmã, de companheira.
Triste domingo, 22  de abril, dia do Planeta, devolvi minha MISHA à terra e ao pó que somos, todos!
 
Delasnieve Daspet
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por nos visitar, por nos ler e por deixar um comentario.
Volte sempre!

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget