quarta-feira, novembro 09, 2011

Poesia da hora matinal - Delasnieve Daspet

Foto de Demian Topel ( Amanhecer )


Poesia da hora matinal
             Delasnieve Daspet
.
Quanta beleza
Meus olhos contemplam
 Pela manhã.
.
Manhã radiosa e linda,
O sol diáfano no horizonte,
Enfeitando de doirado
As campinas semeadas.
.
A aragem fresca
Sacode as folhas da primavera,
E, o verde dos campos enfeitam
A vida e o porvir.
.
Por entre os galhos soberbos dos ipês
Trinados alegres,
Ruflar de plumas,
Tatalar de asas,
Saltando de galho em galho,
Aves - de cantar variados!
.
Os encantos da aurora,
Não tem limite na infinita
Liberdade da natureza!
.
Quebrando o silêncio,
Rumoreja silente,
O rio de água fresca e cristalina.
.
Desfecho um poema
Pelas bordas das matas,
Pelo por do sol - quando o dia
Agoniza suave.
.
E quando a lua se esconde
Por detrás de grossas  nuvens
que se amontoam no espaço,
- Silêncio profundo na cidade -,
Eterno sudário sobre meus sonhos!
.
Assim, manhãs de frigidíssimo outono,
Desnudas árvores,
Poeirentos caminhos,
Poesia da hora matinal!
 DD_Campo Grande-MS 24.05.10


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por nos visitar, por nos ler e por deixar um comentario.
Volte sempre!

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget